Estado

Foto: Divulgação

Continuam as suspeitas em torno de um possível arrastão de invasões em áreas do Estado que estaria sendo organizado para o recesso do final de ano. A Secretaria Estadual de Habitação deu o alerta sobre o assunto e alega que o Serviço de Inteligência já mapeou as áreas que podem ser invadidas bem como quem está por trás do movimento.

Conforme apurou o Conexão Tocantins junto à fontes, um grupo visa ocupar a AVNO51 que é uma área verde. Representantes do Movimento Nacional de Luta pela Moradia - MNLM negaram envolvimento nas articulações e afirmaram inclusive ser contra invasão em áreas verdes.

Lideranças do Movimento dos Sem Teto da capital em contato com o Conexão Tocantins também negaram participação nas possíveis invasões.

O vereador de Palmas, Bismarque do Movimento (PT), coordenador no MNLM no Tocantins relatou ao Conexão Tocantins que foi procurado por um homem que não se identificou e foi em sua residência sondar se ele estava por trás das invasões que estariam programadas. “Achei estranho demais, a pessoa se identificou como sem teto dizendo que queria fazer cadastro”, conta. O parlamentar não tem provas mas não descarta a possibilidade de ter sido sondado por um policial.

Na opinião de Bismarque, assim também como o deputado Sargento Aragão (PPS), a intenção do governo ao divulgar o assunto é fazer terrorismo para evitar as invasões. “O próprio governo está fazendo terrorismo”, disse.

O MNLM deu prazo até abril do próximo ano para que o governo comece a construir as casas populares que atendem o déficit habitacional no Estado. “Se isso não acontecer vamos começar manifestações no Palácio Araguaia, passeata e outras manifestações pacíficas”, salientou.

O Movimento reivindica ainda a ativação do Conselho Estadual de Habitação que estaria com as atividades e reuniões paralisadas.