Estado

Foto: Luciano Ribeiro

A localização estratégica, o potencial logístico do Estado do Tocantins e as maneiras para aproveitar melhor essas vantagens serão os principais temas a serem abordados durante encontro que acontecerá em Palmas, neste mês de fevereiro, com a participação dos estados do Mato Grosso, Pará e Goiás.

Segundo o secretário da Indústria e Comércio, Ernani Siqueira, o evento é de grande importância, pois o Estado do Tocantins hoje é a menina dos olhos do Brasil e parte do mundo também. "Porque é um Estado novo, que está se desenvolvendo e tem uma logística fantástica, pois estamos no coração do Brasil e, sem dúvida nenhuma, outros estados importantes precisam de nós”, afirmou.

Ainda segundo o secretário, representantes do Estado do Mato Grosso já estiveram este ano no Tocantins para discutir as vantagens de parcerias entre os dois estados. “O Mato Grosso, assim como o Pará e Goiás, estão dependendo da logística que dispomos e, neste mês de fevereiro, vamos fazer o encontro destes quatro estados, do qual participarão governos, empresários e todas as instituições que participam e contribuem para o desenvolvimento desses estados e do Brasil”, destacou.

O secretário informou ainda que “no encontro, organizado pelo Tocantins, os participantes farão uma viagem de trem, de Palmas a Araguaína, quando, haverá um dia de apresentação e depois retornarão, ainda de trem, à capital para um dia de discussão onde serão apresentados projetos para fortalecer inclusive a instalação da Ferrovia Norte-Sul, que deve ser inaugurada até junho deste ano, assim como o projeto do Porto de Praia Norte, que em breve será instalado no Tocantins”, disse.

Ferrovia Norte Sul

Uma das principais obras de fortalecimento da logística tocantinense, a Ferrovia Norte-Sul já tem os seguintes trechos prontos no Estado do Tocantins: Aguiarnópolis-Araguaina (146 km); Araguaina-Colinas do Tocantins (94 km); entre Colinas-Guarai (132 km) e o trecho entre Guarai e o pátio de Palmas-Porto Nacional (150 km).

Segundo a Valec, empresa responsável pela execução da obra, os 350 km que separam o pátio de Palmas/Porto Nacional ao pátio da divisa dos Estados de Goiás e do Tocantins, assim como os 220 até Uruaçu, antes previstos para conclusão no primeiro semestre deste ano. O mesmo ocorre com relação ao trecho de 280 km entre Uruaçu e Anápolis, cujas obras estão em fase de conclusão.

Porto de Praia Norte

O Porto de Praia Norte consolidará o Bico do Papagaio como região estratégica para a integração da logística no Tocantins, pois está localizado na entrada da região amazônica e delineado pelos rios Araguaia e Tocantins. Com a obra, o Tocantins estará ligado aos dois principais portos da região Norte do Brasil: Manaus (AM) e o de Belém (PA). “Este ano focaremos a hidrovia, para a implantarmos de fato, pois temos uma pesquisa que comprova a vantagem da logística tocantinense, que mostra uma economia de até 700 km de rodovia, o que significa uma redução de 33% no valor do frete”, enfatizou Ernani Siqueira. (Secom)