Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual Freire Junior pode ter que lutar pelo mandato na justiça. Na semana passada ele trocou o partido pelo PV. O PSDB no Estado, comandado por Ernani Siqueira, não descarta ingressar com uma ação de perda de mandato contra ele. A legenda aguarda, segundo informou o presidente ao Conexão Tocantins, a publicação da atualização da lista do TSE constando as mudanças de partido.

 “Assim que a lista for publicada vamos ver isso. São três opções: nós podemos fazer, o suplente também pode fazer isso e o Ministério Público”, disse. Para o presidente, as alegações de Freire para deixar a legenda não justificam a saída dele. “ Juridicamente não justifica”, completou. Freire articulou sua saída junto à nacional da legenda e disse que recebeu aval para deixar os quadros da sigla com tranquilidade.

 O suplente de Freire, deputado Carlão da Saneatins que é lider do governo, frisou que  vai acatar a vontade do PSDB. “É uma necessidade de adquirir a vaga e nós vamos fazer. Estamos aguardando essas formalidades”, frisou. O parlamentar também analisa que não houve motivos para a saída de Freire. “O próprio deputado divulgou nota dizendo que não tem nada contra o partido então acho que ele saiu por espontânea vontade”, disse.

 Após vários desentendimentos e falta de espaço no PSDB o deputado Freire Junior decidiu mudar seu rumo partidário e tem como meta disputar uma cadeira na Câmara Federal no próximo ano. O parlamentar, que foi eleito na base de Siqueira Campos, já estava afastado do atual governo estadual há alguns meses. O rompimento e a decisão de sair do grupo e da legenda veio após muitas críticas ao governo e também ao secretário de Relações Institucionais, Eduardo Siqueira Campos.

O deputado comentou a intenção do PSDB de tentar buscar seu mandato. “Tenho uma carta do presidente Aécio Neves autorizando a saída do partido. Eu já esperava isso”, disse. Ele disse que está tranquilo com relação ao assunto e afirmou inclusive já ter repassado a carta para a direção do partido no Tocantins. A filiação do deputado aconteceu no dia 30 de setembro e contou com a participação de vários líderes da política do Estado.

 Consultado pelo Conexão Tocantins o procurador Regional Eleitoral, Álvaro Manzano afirmou que  o Ministério Público Eleitoral tem a prerrogativa de tentar reaver alguns mandatos mas que o órgão prefere entrar apenas em casos em que o partido ingressar com ação ou representação. Ele frisou ainda que no Tocantins a maioria dos que trocaram de partidos foram para novas legendas criadas recentemente o que a lei permite.