Polí­tica

Foto: Divulgação

O vice-líder do PDT na Câmara dos Deputados, Angelo Agnolin, defendeu o cooperativismo como sistema produtivo socialmente justo para o Brasil. Presente no lançamento da Agenda Legislativa do Cooperativismo, (ocorrido na terça-feira, 28/02), Agnolin manifestou na tribuna da Casa, na tarde desta última quarta-feira, 29 de fevereiro, seu comprometimento em defender o sistema cooperativista durante mandato. Ele relacionou a experiência vivida no Tocantins, onde centrais de cooperativas de pequenos produtores (agroindústria, de crédito e saúde) geram mais de mil empregos diretos e aquecem a economia de diversas regiões no Estado.

Agnolin relacionou as principais proposições de interesse do setor cooperativista que tramitam no Congresso Nacional, e garantiu empenho em priorizá-las. “São desafios que temos que vencer ainda neste ano. São 57 proposições, entre elas, a definição adequada do sistema tributário e o projeto de lei que regulamenta as cooperativas de trabalho” pontuou.

Conforme o deputado, o sistema já contabiliza 9,1 milhões de cooperados no Brasil. “O país já ganhou muito com as cooperativas. É preciso apresentar as vantagens desse sistema e expandir para outras organizações” completou.

Na avaliação do deputado, o cooperativismo é a forma segura para oportunizar aos pequenos produtores, de forma que possam competir com as grandes empresas. O deputado concluiu que em 2012, sendo ano do cooperativismo, o legislativo terá a responsabilidade de criar alternativas positivas para fortalecer o setor. “É extremamente importante para fortalecer a economia do Brasil, avançar nesse setor, assumindo o compromisso de, efetivamente, oferecer segurança jurídica e legislativa que permita o desenvolvimento social e econômico das regiões”, finalizou.