Saúde

Foto: Divulgação

Desde o início de sua nova gestão, em 2011, um dos principais problemas que tem atormentado o governador Siqueira Campos (PSDB) é a situação da saúde pública do Estado. A Pró-Saúde foi contratada, ainda no ano passado, inclusive, para tentar sanar as deficiências no setor mas não tem conseguido lidar com o alto orçamento e as constantes denúncias pela precariedade na estrutura dos hospitais. Além disso, em pouco mais de um ano a Secretaria da Saúde já está em seu quarto secretário.

Não obstante, a capital do Tocantins também tem passado por dificuldades em manter suas estruturas de atendimento de saúde, conforme o Sindicato dos Profissionais em Enfermagem do Tocantins (Seet). O sindicato denunciou, recentemente problemas na infraestrutura básica do Hospital Infantil Público de Palmas Dr. Hugo Rocha da Silva (HIPP).

De acordo com os representantes do setor, os problemas são dos mais diversos tipos, como corredores e refeitórios sem espaço, infiltrações nas paredes, falta de banheiros e armazenamento dos alimentos na despensa. De acordo com o diretor jurídico do Seet, Claudean Pereira Lima, a situação não pode continuar como está. “Isso é um absurdo! Alimentos próximos de banheiro não poderiam ficar. A Pró-Saúde está aí há seis meses, já foi avisada e não faz nada para resolver isso!”, indaga o diretor do sindicato.

A unidade hospitalar existe há dois anos, conta com 57 leitos. Nesse período, segundo a própria Secretaria Estadual da Saúde, realizou mais de 130 mil atendimentos.

“Tem criança sendo atendida em cadeiras, em macas nos corredores e isso não está certo. Vamos levar isso ao Ministério Público. Sobre as condições de trabalho, se nada for feito, vamos ao Ministério do Trabalho, porque os profissionais da enfermagem precisam ter condições mínimas para exercer suas funções. O serviço público tem que ter consciência de fornecer isso pra categoria”, finalizou o diretor do Seet. (Com informações da Assessoria de Imprensa Seet)