Campo

Foto: Divulgação

Técnicos da Setas – Secretaria do Trabalho e da Assistência Social se reuniram na tarde desta quinta-feira,28, com apicultores do Estado para apresentar e debater o projeto da cadeia de inclusão produtiva de apicultura do Tocantins.

O projeto atenderá 1.580 famílias de 79 municípios e propõe capacitação, equipamentos, assistência técnica e investimentos. De acordo com o diretor de inclusão produtiva da Setas, Valter Frota, o objetivo da reunião é envolver, ao máximo os apicultores no processo de construção do projeto e explica: “Eles são os maiores beneficiários e também o executores do projeto por isso essa aproximação é fundamental”.

Com a aprovação dos apicultores o projeto será levado ao Comitê Gestor Nacional do Plano Brasil sem Miséria, caso seja aprovado, o Estado contará com R$ 6,5 milhões em recursos dos ministérios do Desenvolvimento Agrário e Desenvolvimento Social para executar o projeto.

Segundo o presidente da Federação Tocantinense de Apicultura, Antonildo Alexandre de Medeiros, o projeto atende todas as necessidades da apicultura no Estado: “Trata-se de uma ótima proposta, contempla todas as nossas reivindicações. E caso seja aprovada em breve teremos resultados concretos”, avalia o presidente.

Além de contemplar os apicultores já em exercício no Estado o projeto visa incluir as famílias inscritas no Cadastro Único da Assistência Social no intuito de oportunizar a inclusão produtiva e social. (Ascom Setas)