Cultura

Foto: Divulgação

O Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor começou cheio de inspiração em Palmas e com muitas poesias sendo declamadas com o lançamento do livro "Carretel de Rosas, de Lita Maria. O evento ocorreu às 8h30 desta segunda-feira, 23, na Santo Pecatto, no Capim Dourado Shopping, e foi prestigiado por Odir Rocha, presidente da Academia Palmense de Letras e secretário da Academia Tocantinense de Letras e também do escritor Mário Martins, do comandante geral da Polícia Militar do Tocantins, coronel Marielton Francisco dos Santos e do comandante geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Erli Lemes de Lima, do empreendedor do Capim Dourado Shopping Carlos Amastha, além de amigos e imprensa.

“Carretel de Rosas” é a estreia de Lita Maria, uma palmense de coração e goiana de nascimento que tira das sensações que vive no cotidiano a inspiração para escrever poesias. Emocionada, ela disse aos presentes que "Carretel de Rosas" tem para ela "o mesmo significado do nascimento de um filho".

Autor do prefácio do livro, Odir Rocha ressaltou que “Lira é uma grande poeta” e acrescentou “os apreciadores da poesia como estilo literário, sabem que, através de poemas bem compostos, atingem-se itinerários de múltiplas e mágicas viagens. Encontrarão nesta primogênita obra de arte, tudo isso e muito mais”.

Carlos Amastha participou do lançamento do livro e disse que como empreendedor do Capim Dourado Shopping se sente "honrado por incentivar e apoiar o fortalecimento da cultura tocantinense e receber no shopping a autora, Lita Maria, todas as pessoas ligadas à literatura, além dos amigos e familiares de Lita Maria".

Sobre Lita Maria

Lucelita Maria Alves nasceu em 1967, em uma casa simples de palha, no município de Piranhas-GO. Filha de Francisco José Alves, lavrador que tinha caligrafia artística e gostava de rimas e cordel, e de Anália Maria Alves, costureira, sonhadora, que tinha habilidade para trabalhos manuais. Família grande, Lita Maria é a sexta de oito irmãos. Cresceu em terreiros sombreados, em rodas de “contação de causos” na “boca da noite”. Subiu em árvores, fez estilingue, correu em carrinhos de rolimã, cantou e dançou todas as cirandas da sua infância, em rodas de crianças das casas vizinhas. Brincou de bonecas prontas e fabricadas no seu quintal mesmo, inclusive de espiga de milho, “as melhores que há”! Fez bois e vaquinhas de mangas verdes, carrinhos de sabugo e bilboquês de lata. Mudou-se para Goiânia, em 1982, continuando seus estudos na Capital. Ingressou na Polícia Militar de Goiás, em 1986. Em 1989, com a criação do Estado do Tocantins, ingressa na Polícia Militar tocantinense. Paralelo à carreira militar cursou Letras e Psicologia. Fez, ainda, pós-graduação em Gestão Pública. Em 2006, passa a compor o Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins, onde trabalhou até abril de 2011, quando completou seu tempo de serviço na Corporação, passando à reserva remunerada no posto de Tenente-Coronel. Exerceu várias atividades profissionais, sendo sua maior experiência na área da Defesa Civil. Atualmente, integra o grupo iniciante Arcultato – Artes e Cultura Tateando no Tocantins e é acadêmica do Curso de Artes da Universidade Federal do Tocantins. É mãe de Clara Assunção e Santiago Francisco. (Ascom Capim Dourado Shopping)