Campo

Foto: Divulgação

A Adapec – Agência de Defesa Agropecuária, em parceria com a cadeia produtiva leva o Estado a comemorar, em maio deste ano, 15 anos sem foco de febre aftosa e a manutenção do status sanitário, livre da enfermidade com vacinação.

Para alcançar este patamar, o Governo Estadual e Federal tem investido no sistema operacional e infra-estrutura. Com isso, a Adapec está presente nos 139 municípios do Estado, priorizando um controle rígido de trânsito de animais com suas barreiras fixas, volantes e fluviais, além de um ágil atendimento a notificação de doenças. “Temos de ser vigilantes, já que a febre aftosa é considerada uma das piores ameaças social e econômica, gerando queda na produção e embargos econômicos impostos pelos países importadores”, destaca o diretor de Defesa, Sanidade e Inspeção Animal da Adapec, João Eduardo Pinto Pires.

A vigilância e inspeção da carne tocantinense começam no campo, para oferecer aos mercados consumidores produtos de qualidade. Com cerca de oito milhões de bovídeos (bovinos e bubalinos), em território tocantinense, é preciso vigilância ativa para manutenção da sanidade do rebanho, priorizando a vacinação. Em maio de 2011, o índice vacinal chegou 99,41% dos animais. Na segunda etapa, realizada em novembro, o índice alcançado foi de 99,43%.

Atualmente, a grande maioria do gado é criada de modo extensivo, ou seja, solto no pasto, e se destaca pela qualidade da carne, produzida sob o manejo natural. O quantitativo de gado em confinamento ainda é pequeno e representa menos de 2% no número de animais. Apesar de o Estado contar com 7 frigoríficos registrados pelo SIF -Serviço de Inspeção Federal, eles ainda não trabalham na sua capacidade máxima de produção, já que o abate clandestino ainda é um desafio a ser superado. Porém, vem sendo combatido pela Adapec, em parceria com a Vigilância Sanitária e Ministério Público Estadual.

De acordo com o presidente da Adapec, Geraldino Ferreira Paz, a Agência tem investido continuamente em treinamento dos profissionais, Educação Sanitária e na modernização da Defesa Sanitária Animal e Vegetal. “Precisamos continuar avançando, para que no futuro próximo, conseguirmos a elevação do status sanitário, para livre de febre aftosa sem vacinação, a exemplo de Santa Catarina”, pontua.

Paz considera que, ainda há muitos desafios a serem superados, mas que os avanços, principalmente, na Inspeção Estadual foram significativos, já que os seis frigoríficos registrados no SIE – Serviço de Inspeção Estadual operavam sem atender integralmente a legislação. Hoje, os estabelecimentos já estão com toda a sua carne resfriada, exceto um, que por força da liminar, ganhou mais prazo para cumprir todas as determinações. “Podemos comemorar, pois o principal beneficiário é o consumidor”, disse.

Exportações

O Tocantins está habilitado a exportar carnes, produtos e subprodutos para mais 130 países. Atualmente, os 7 frigoríficos registrados no SIF – Serviço de Inspeção Federal, estão localizados nos municípios de Araguaina, Nova Olinda, Paraíso do Tocantins, Gurupi e Alvorada.

De acordo com informações da Seagro – Secretaria Estadual da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário (Seagro), o agronegócio continua sendo o principal impulsor para o crescimento das exportações do Tocantins. No primeiro trimestre de 2012, o aumento nas exportações em relação ao mesmo período de 2011 foi de 145% em valores e 673% em toneladas de produtos, levando em conta o levantamento divulgado pelo MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Ainda segundo a Seagro, em janeiro foram exportadas mais de três mil toneladas de produtos, dos quais 98% são referentes à carne, gerando um volume cerca de US$ 14 milhões. Em fevereiro, a quantidade exportada foi maior que três mil toneladas, gerando aproximadamente US$ 15 milhões. Em março, a exportação superior a 45 mil toneladas, sendo 33 mil de soja e mais de 8 mil toneladas de carne, atingindo um volume de US$ 30,6 milhões. O que significa um crescimento de 187% em valores praticados e 1.465% de volume exportado (kg) negociadas em relação a 2011. (Ascom Adapec)