Economia

Foto: Divulgação

A grande quantidade de feriados principalmente no ano de 2012, trará uma perda de faturamento no comércio, de acordo com o apontamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Segundo o professor de varejo da FGV, o montante chegará a 50 bilhões de reais. Dos 17 feriados nacionais, estaduais e municipais (Palmas) que existem, nove são próximos aos finais de semana.

Em entrevista para a agência Brasil, o professor de Varejo da FGV, Daniel Plá explica que além do comércio, o Estado também perde. “Se falamos que pelo menos um terço desse valor, os comerciantes vão ter que pegar emprestado nos bancos, graças aos feriados, a quantia equivalerá a R$ 15 bilhões. O setor financeiro ganha com essa história e os governos perdem em termos de arrecadação tributária”. Daniel Plá estimou que em função dos feriados, os governos federal, estaduais e municipais deixam de arrecadar em torno de R$ 18 bilhões, só no comércio.

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Tocantins – Fecomercio, Hugo de Carvalho, lembra que os comerciantes perdem até mesmo quando os feriados caem no sábado. “O sábado é um dia ativo para o comércio de forma geral. No sábado, as pessoas costumam estar de folga e podem realizar atividades como pagamento suas contas e compras, portanto mesmo o feriado caindo nesse dia, o empresário acaba perdendo lucratividade”, afirmou.

Os restaurantes, bares e hotéis tendem a um maior movimento por conta dos feriados, porém a presidente do Sindicato do Turismo e Hospitalidade do Tocantins, Mária Lúcia Dorta, afirma que é preciso cautela quando os feriados caem durante a semana. “Nas vésperas de feriados, as empresas ligadas ao lazer acabam registrando um maior movimento, pois as pessoas saem mais ou até mesmo viajam. Mas quando o feriado cai durante a semana, há uma queda no movimento no resto de toda a semana”, ressaltou.

Já osshoppings centers, não sentem tanto as perdas tendo em vista que o movimento maior é no final de semana e feriados. Como explica o empreendedor do Capim Dourado Shopping, Carlos Franco Amastha: “Parte da população que permanece na Capital, somada àquelas que passaram pela cidade, oriundas do interior do Estado, contribuem com esse aumento. Em comparação aos outros dias de visitação normal, em algumas datas chegamos a ter um aumento no fluxo de pessoas de 30%”.

Até o final do ano, o calendário registra ainda nove feriados no Tocantins. (Ascom Fecomércio)