Educação

Em Assembleia-Geral realizada na manhã, desta terça-feira (19), no Câmpus de Palmas, os servidores Técnico-Administrativos da Universidade Federal do Tocantins (UFT) aprovaram, por unanimidade, a possibilidade do não recebimento dos documentos do Sisu, caso não haja avanço nas negociações com o Governo Federal.

O Sisu foi criado pelo Ministério da Educação para unificar a oferta de vagas em universidades públicas, que são disputadas a partir do Enem. Um total de 56 instituições de todo o país participam do programa, neste ano. Na UFT, 25% do total de vagas oferecidas a cada Vestibular são destinadas ao Sisu em todos os cursos da Instituição, com exceção de Arquitetura e Urbanismo por possuir prova de habilidades específicas.

A greve dos Técnico-Administrativos é nacional e acontece em conformidade com a orientação da Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras (FASUBRA). A categoria, que já paralisou as atividades em 48 universidades do país, busca a melhora da qualidade da educação, por meio da destinação de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação, além de melhores condições de trabalho e reposição salarial.

O Comando Geral de Greve e a Coordenação Geral do Sindicato dos Técnicos Administrativos em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior do Estado do Tocantins (SINTAD-TO) informam que a medida visa sensibilizar o Governo Federal, responsável direto por possíveis transtornos que poderão ocorrer no processo do Sisu. (Com informações da Assessoria do Sintad)

Por: Redação

Tags: Sintad, Sisu, UFT