Estado

Foto: Divulgação

O secretário estadual da Saúde, Nicolau Esteves entregou seu cargo ao governador Siqueira Campos (PSDB) na manhã desta sexta-feira, 20. Esteves ocupava a Pasta desde março deste ano, quando assumiu em um momento conturbado dentro do setor no Tocantins. Em seu lugar assume o secretário executivo da pasta, Luiz Fernando Freesz. A saída de Nicolau é mais um capítulo na crise pela qual passa a saúde pública no Tocantins, desde a fatídica terceirização dos serviços de 17 hospitais públicos à Organização Social Pró-Saúde.

Durante entrevista coletiva, Nicolau destacou que a mudança na Pasta da Saúde já era prevista desde que assumiu o cargo, em março deste ano. Para o ex-secretário, seu substituto é mais preparado para assumir o comando da Sesau por ter mais experiência com relação ao Sistema Único de Saúde (SUS). “Desde o início era pra o Luiz Fernando ser o secretário. Mas o governador solicitou que eu assumisse a pasta naquele primeiro momento. Depois que ele (o novo secretário) ficou mais conhecido, eu decidi deixar o cargo”, completou.

Esteves declarou que a meta é manter o projeto iniciado em sua gestão, mesmo depois de sua saída. As políticas implantadas durante sua passagem pela Seau, segundo ele, tiveram participação importante de seu substituto. “Os projetos eram dele, quem de fato gerenciou a saúde foi ele”, disse.

Projetos

Antes de deixar a Pasta, no entanto, o ex-secretário da Saúde apresentou um projeto de políticas públicas voltadas para o atendimento primário de saúde. De acordo com Nicolau Esteves, a meta é iniciar o tratamento de saúde com medidas preventivas, antes que o paciente chegue ao hospital. “Temos que avançar na atuação primária de saúde. Não podemos combater o usuário de drogas, temos que combater o traficante” exeplificou.

A medida foi compartilhada pelo novo secretário. Luiz Fernando Freesz destacou que não haverão mudanças nas políticas adotadas pela Sesau nestes meses em que assumiu a parte executiva da Secretaria. Para o novo secretário, o desafio inicial, contudo, será o fechamento da parceria entre governo e Pró-Saúde – Organização Social que geriu por quase um ano 17 hospitais estaduais. “Com relação à Pró-Saúde, as questões estão sendo discutidas. Os processos licitatórios para cobrir os serviços estão em fase final”, disse.

Além disto, a Sesau iniciou a implantação dos consórcios intermunicipais de saúde, iniciados na última semana. Esta, segundo os gestores foi apenas a primeira etapa de oito acordos firmados.

Desgaste

Quando questionado sobre um possível desgaste por conta da alta rotatividade na Secretaria da Saúde, Nicolau Esteves rechaçou a possibilidade e disse que “quando o trabalho é bem planejado e bem feito, não existe este desgaste”.

Para o novo secretário, políticas de implantação de melhorias na Saúde Pública não podem ser restritas a apenas uma esfera de Poder. “As políticas tem que ser tripartite, envolvendo governo federal, estadual e municipal. Nós não podemos, por exemplo ir contra as políticas de saúde do governo federal”, atentou.

Nicolau Esteves frisou que não informou anteriormente de seus planos de deixar a Pasta da Saúde pelo delicado momento pelo qual o setor passa no Tocantins. “Eu não poderia gerar este tipo de insegurança na população”. Insegurança esta que o quinto ocupante da cadeira tentou evitar, também, ao frisar que sua gestão não terá prazo de validade. “Eu fico definitivamente na Secretaria da Saúde”, confirmou.