Economia

Foto: Divulgação

Os consumidores palmenses demonstraram mais cautela em relação ao consumo nesse mês de julho. É o que mostrou os resultados da pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), em que se apurou uma queda de 0,97% em relação a junho, passando de 135,1 pontos para 133,7. Em comparação a igual período de 2011, o índice continuou em baixa, com redução de 1,01%. A pesquisa, que é realizada pela Confederação Nacional do Comércio em parceria com a Fecomércio Tocantins, traz um indicador que varia de 0 a 200 pontos, sendo que a pontuação acima de 100 demonstra otimismo.

Segundo o presidente da Fecomércio Tocantins, Hugo de Carvalho, essa retração do ICF mostra que as famílias encararam o momento atual com certa apreensão. “Os consumidores estão preferindo não comprometer tanto o orçamento desse período, mesmo com a redução de impostos para determinados segmentos de bens duráveis”, avalia.

O presidente ressalta que esse resultado de julho foi pressionado, sobretudo, pela queda de 1,6% do item perspectiva de consumo. Outra categoria que apresentou recuo foi a renda atual, com -1,02%, bem como o indicador “momento para adquirir bens duráveis”, que registrou queda de -1%.

Em contrapartida, houve aumento no índice de “segurança no emprego atual” (0,99%), “melhoria na perspectiva profissional” (0,9%), “facilidade no acesso a crédito” (1%). O item “consumo atual”, praticamente não teve alteração, permanecendo na casa dos 105 pontos, no comparativo com o mês de junho.

O jornalista Bernardo Gravito afirma que em julho teve seu consumo reduzido. Segundo ele, foi preciso replanejar seus gastos para investir em seu novo negócio e para agosto a previsão é continuar economizando. A secretária Dikinara Lima também buscou reduzir seu consumo nesse período. “Devido a imprevistos, excedi o orçamento do mês e por isso reduzi os gastos em julho e provavelmente no próximo mês também”, comenta. (Ascom Fecomércio)