Cultura

Foto: Adilvan Nogueira - Secom

A culinária regional do Tocantins foi uma atração à parte na 10ª Feira do Folclore, Comidas Típicas e Artesanato do Tocantins (Fecoarte), encerrada neste domingo, 12, em Palmas. Um verdadeiro festival de cores e sabores que aguçou os sentidos dos milhares de visitantes que passaram pela feira no Centro de Convenções do Parque do Povo nos seis dias do evento. Paçoca de carne seca, caldos, bolos e biscoitos se ansformaram em desafio aos adeptos das dietas e um convite ao prazer.

Nomes já conhecidos como “amor perfeito”, o biscoito feito também em outros lugares mas sendo mais conhecido o de dona Naninha, de Natividade, e que já tem embalagem bonita e padronizada, se misturavam a outros também tradicionais, como os de Monte do Carmo: trovão, bolo de mãe, bolo de arroz, mangulão, cacete, bolo de puba, peta, quebrador e grolado, desafiaram paladares e, depois de uma boa degustação, se tornava quase impossível não levar ao menos um pacotinho para casa. E ainda havia os licores de caju e genipapo e uma infinidade de doces e compotas e cachaças artesanais, além do yakisoba, uma espécie de confirmação de que a colônia japonesa já é tocantinense.

Coordenadora de um dos estandes mais frequentados, o de Monte do Carmo, a boleira Adelaide Braga já não sabia mais quantos bolos havia vendido até o encerramento da feira. “Tive que ligar para Monte do Carmo diversas vezes para mandar fazer mais bolos. Ainda não sei quanto faturamos, mas sei que vai dar para comprar uma amassadeira e, no ano que vem, vamos entrar com muito mais estrutura”, se anima ela, já pensando na próxima edição da Fecoarte e acrescentando que também fez muitos contatos para vendas no atacado. (Secom)