Polí­tica

Foto: Divulgação Rossine Aires é apontado como doador da campanha de Siqueira Campos em 2010 Rossine Aires é apontado como doador da campanha de Siqueira Campos em 2010

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista que investiga a atuação do contraventor Carlos Augusto Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira, está reunida neste momento para analisar os cerca de 300 requerimentos que tramitam na Comissão. Entre eles, o pedido de convocação do governador do Tocantins, Siqueira Campos (PSDB).

Além de Siqueira, que teve sua convocação pedida pelo deputado Leonardo Picciani (PMDB / RJ), os governadores Marconi Perillo (PSDB / GO), Silval Barbosa (PMDB / MT) e André Puccinelli (PMDB / MS) e o ex-governador goiano Íris Rezende (PSDB) também terão suas convocaçõe analisadas pela CPI na reunião de hoje.

Outro ponto requerido na reunião de hoje foram os cerca de 40 pedidos de informação de empresas ligadas ao esquema de Cachoeira em diversos Estados. No Tocantins, os parlamentares aprovaram o envio de cópias de todos os contratos da Construtora Delta com o governo.

Quebra de sigilo

Ainda na reunião desta terça-feira, 14, foi aprovada a quebra de sigilo bancário de 35 empresas e agentes envolvidos no esquema do bicheiro, incluindo o empresário Rossine Aires Guimarães,sócio da Construtora Rio Tocantins, que foi apontada como doadora de campanha de Carlos Gaguim (PMDB) e Siqueira Campos ao governo do Estado em 2010.

Convocação adiada

A convocação dos governadores, no entanto, mesmo estando entre os mais de 250 requerimentos pendentes, não chegou a ser colocada em votação, bem como a dos demais governadores citados pelas investigações da Polícia Federal. A expectativa é que os requerimentos que pedem a convocação dos gestores estaduais sejam apreciados na próxima reunião.