Economia

Foto: Divulgação

Do primeiro dia deste ano até o final da manhã desta quinta-feira, 13 de setembro, o tocantinense já pagou mais de R$ 1,7 bilhão de reais em impostos.  A média mensal da arrecadação é de cerca de R$ 127 milhões de reais. Isso quer dizer que até hoje cada um dos habitantes do estado já contribuiu com R$ 780,08 reais. 

No mesmo período, os moradores da capital do estado já contribuíram com mais de R$ 371 milhões de reais. A média é de R$ 1,384,70 reais por habitante. Os números são do Impostômetro, sistema que registra a quantidade de impostos pagos pelos contribuintes nas esferas federal, estadual e municipal. A atualização dos dados é instantânea e pode ser acompanhada através do site “impostômetro”. O site foi criado pela Associação Comercial e Industrial de São Paulo (ACISP) para acompanhar a arrecadação e protestar contra o atual sistema tributário brasileiro.

Feirão do Imposto

Também com a intenção de chamar atenção para a elevada tributação paga pelo brasileiro, a Associação dos Jovens Empresários Empreendedores do Tocantins  (Ajee/TO) aderiu a um movimento comandado pela Confederação Nacional dos Jovens Empresários (Conaje) que busca desvendar para o consumidor o valor da tributação de cada produto.

O movimento, que é realizado desde 2003, se chama Feirão do Imposto. Este ano a ação será realizada em 200 cidades do Brasil, simultaneamente, no próximo sábado, 15 de setembro. Palmas é uma dessas cidades.

Na capital do Tocantins, onde o evento será realizado no hall do Capim Dourado Shopping, das 10 ás 22 horas, os consumidores terão a oportunidade de comprar com isenção ou redução de impostos produtos como combustíveis, passagens aéreas, chopp e alimentos.

De acordo com Mércia Fernanda Ribeiro, presidente da Ajee Tocantins, o grande objetivo da ação é conscientizar a população sobre as elevadas taxas tributárias pagas. “Queremos também chamar a atenção para a necessidade da reforma tributária e para o quanto é preciso fiscalizar se os recursos públicos, que são oriundos dos impostos, estão sendo bem aplicados”.

 “Apoiamos essa iniciativa, para conscientizar o cidadão do valor dos impostos pagos sobre tudo o que consome para incentivá-lo a cobrar o retorno em serviços públicos de qualidade”, destacou Hugo de Carvalho, presidente da Fecomércio, ao justificar o apoio ao evento. 

 “O empresário, responsável por gerar mais de 90% dos empregos, tem sido muito prejudicado com uma sobrecarga de impostos que chega a ser quase 40% do PIB. Nossa carga de tributos é uma das mais pesadas entre os países emergentes e isso é causa de fechamento de um grande número de empresas. Além de pesada, a tributação é complexa e injusta, uma vez que as faixas de menor renda acabam pagando grande parte dessa conta”,explicou. (Ascom Ajee)