Campo

Foto: Divulgação

Seguindo uma tendência mundial, a produção sustentável tem ganhado espaço no agronegócio tocantinense, com o crescimento de florestas plantadas. Há 24 anos, na criação do Estado, haviam poucas áreas de florestas plantadas, mas agora a silvicultura é a principal atividade de muitos produtores tocantinenses e a perspectiva de crescimento é uma das melhores, dentre as atividades agrícolas existentes. As principais espécies de árvores plantadas no Estado são: eucalipto, teca, acácia mangium e a seringueira.

A silvicultura, que chegou ao Tocantins como uma alternativa de produção, já se consolidou como um dos destaques do agronegócio. De acordo com dados de um levantamento realizado pela Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário (Seagro), o Estado tinha uma área de silvicultura de 16.656 hectares em 2006 e no último levantamento, do ano de 2011, essa área de havia expandido para 83.590 hectares, registrando uma evolução de 501,8%.

Para o secretário executivo da Seagro, Ruiter Padua, a silvicultura se tornou um destaque do agronegócio no Tocantins, em razão de seu potencial de expansão. Estudo da Seagro aponta que até 2017 o Estado deve ter 795 mil hectares de florestas plantadas. “Esse potencial de expansão tem atraído cada vez mais investimentos para a silvicultura, que é uma atividade sustentável, pois gera empregos, renda e contribui para a recuperação com o meio ambiente, uma vez que ajuda na recuperação do solo e no sequestro de carbono”, explicou Padua.

Seringueira

Com o intuito de fortalecer a silvicultura, o Governo do Estado, através da Seagro, vem trabalhando na implantação de polos de seringueira, em três diferentes regiões do Estado: Sudeste, Centro-oeste e Norte. Em junho deste ano foi lançado o I Polo de Seringueira em Pium (Sudeste) e em setembro o II Polo, em Palmeiropolis (Centro-oeste). O terceiro polo deve ser lançado nos próximos meses, no município de Santa Fé do Araguaia (Norte).

O diretor de Agroenergia da Seagro, Luiz Eduardo Leal explica que o intuito do Governo é investir na expansão da seringueira nas pequenas propriedade do Estado. “A seringueira é importante, sobretudo para diversificar e aumentar a renda dos agricultores familiares, que são a maioria entre os que vivem na zona rural do Tocantins”, afirmou Leal, acrescentando: “o intuito é melhorar a qualidade de vida dos pequenos agricultores”.

Eucalipto

O eucalipto que é principal espécie de floresta plantada no Tocantins tem sido importante, sobretudo para a utilização de terras com baixo potencial de exploração agrícola ou que se encontram degradadas, segundo informou o coordenador de Biomassa da Seagro, Hélio de Souza. O plantio de eucalipito no Estado cresceu 577% desde 2006, quando a área era de 13.000 hectares, alcançando 75.977 hectares em 2011. A espécie, que se adaptou muito bem às condições do solo e clima do Estado, pode ser colhida a partir do sexto ano.

“O eucalipto tem sido uma opção de sustentabilidade, através do sistema agrossilvipastoril, que possibilita recuperação de áreas degradadas, silvicultura e formação de pastagens numa mesma localidade”, avaliou Hélio. Apesar de ser considerada uma alternativa de produção para agricultores, o plantio de eucalipto já é a principal atividade produtiva para alguns produtores do Tocantins. (Ascom Seagro)