Saúde

Foto: Divulgação

Técnicos da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) e representantes de entidades parceiras reúnem-se nesta terça-feira, 19 de fevereiro, às 14 horas, no auditório do Paço Municipal, para discutir estratégias de enfrentamento da dengue na Capital. O prefeito Carlos Amastha também participa da reunião.

Essa será a primeira reunião do Comitê Mobilização Social de Combate à Dengue à Dengue de Palmas após a divulgação do Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti (LIRAa) 2013, que apontou infestação média do mosquito da dengue de 6,5%, isto é, a cada cem imóveis da capital seis mantinham criadouro positivo para a dengue.

Na pauta da reunião está prevista a apresentação dos últimos relatórios dos mutirões de combate e prevenção à dengue feitos nas áreas críticas apontadas pelo LIRAa e ações desenvolvidas pelas entidades públicas e privadas parceiras do Comitê.

Enfrentamento
Para diminuir o índice de infestação por dengue, o secretário municipal de Saúde, Walter Balestra, explica ainda que “empresários, entidades representantes de classes profissionais, organizações de não-governamentais (ONG's), igrejas, instituições de ensino e comunidade são muito bem-vindos à reunião. Precisamos da colaboração de todos para dar continuidade às ações de enfretamento da dengue.”

O LIRAa 2013 apontou que 88,11% dos focos encontradosnos estão em criadouros móveis ou passíveis de remoção da chuva, como pratos e vasos de plantas, recipientes de degelo de geladeiras, bebedouros de animais, restos de materiais de construção, etc.

O diretor de Vigilância em Saúde, Héber de Oliveira, reforça o aviso à população para se manter vigilante e atenta aos seus locais dentro das residências onde o mosquito da dengue pode encontrar abrigo para seus ovos, como ralos e vasos sanitários inutilizados, bebedouros de animais,  brinquedos, baldes, tonéis e objetos pequenos onde a água da chuva pode ficar acumulada.