Polí­tica

Foto: Divulgação

O encerramento da greve da Rede Municipal de Ensino de Palmas gerou comentários na sessão desta terça-feira, 20, na Câmara de Vereadores de Palmas. O primeiro parlamentar a pronunciar-se sobre o tema foi Lúcio Campelo (PR) que criticou as atitudes da gestão municipal na condução das negociações com os líderes do movimento grevista, evidenciando o pedido de prisão do presidente regional do Sintet – Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Tocantins, Joelson Pereira. 

Campelo considerou a decisão autoritária. “Está marcada na história essa decisão que o prefeito Carlos Amastha tomou”, disse. O vereador espera que a Secretaria Municipal de Educação de Palmas encontre também solução para o impasse em torno do Projeto Salas Integradas, um  dos pontos de reivindicação dos professores, e que a gestão cumpra com os acordos firmados com a categoria. 

Milton Neris (PR), no entanto, ressaltou o mérito do prefeito na condução das negociações que culminaram com fim do movimento grevista.  “O prefeito teve um gesto de sensibilidade”, frisou enaltecendo a abertura para o diálogo por parte do chefe do Executivo. 

O vereador ainda salientou o papel desempenhado pela Câmara Municipal no processo. “Ficamos ali, dia e noite, buscando caminhos”. 

Já o parlamentar João Campos (PSC) reconheceu a postura de todos os envolvidos no processo: professores, gestão e Câmara Municipal.  “Não estamos aqui sinalizando perdedores ou ganhadores, mas sim ressaltando que as aulas serão retomadas”, enfatizou. 

Dia do Médico 

O parlamentar Walter Balestra (PCdoB) usou a tribuna para lembrar que em 18 de outubro, domingo passado, foi comemorado o Dia do Médico. Fez um relato histórico da atuação do médico na sociedade e do atual modelo de saúde pública estabelecido pela constituição de 1988, com a implantação do SUS – Sistema Único de Saúde. 

O vereador frisou que o sistema, que está 40% implantado, apresenta problemas, a exemplo das filas de espera para consultas e procedimentos, mas destacou que o SUS passa pela “construção de um avanço com a participação dos médicos”. 

“Eu queria parabenizar os médicos do nosso Estado, da nossa Capital por essa conduta de ceder, de acolhimento”, desejou. 

O vereador Claudemir Portugal (PPS) completou o pensamento de Balestra enfatizando que os médicos “são profissionais compromissados com a população”. 

Produção rural 

Milton Neris (PR) usou a tribuna para destacar o projeto de implantação do Ceasa, uma reivindicação de todos os vereadores da Capital.  O projeto foi apresentado no último sábado, 17, pela ministra da Agricultura e Abastecimento, Kátia Abreu, prevendo investimentos da ordem de R$ 15 milhões. 

“Estou feliz pelo campo, estou feliz pelos nossos produtores”, afirmou, acreditando que o recurso financeiro fortalecerá o setor produtivo. O vereador enfatizou o  comprometimento de Kátia Abreu com o setor produtivo de Palmas, agradecendo a ministra pelo empenho. 

Iratã Abreu (PSD), por sua vez, destacou a vocação para o negócio do Estado do Tocantins e frisou a necessidade de mais apoio ao setor, especialmente com a promoção de capacitação dos produtores. 

“Vem junto com o investimento o programa de qualificação do produtor”, disse. “Acho que vamos colocar o Tocantins de uma vez por todas na ponteira do negócio”.