Saúde

Foto: Divulgação

A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) inicia inquérito de investigação de casos de hanseníase e tracoma nas escolas, nesta segunda-feira, 25 de março. A investigação de casos de ambas as doenças acontecerá em todas as escolas da rede pública municipal de Palmas com alunos entre cinco e 14 anos.

A primeira etapa do inquérito acontece em casa com o preenchimento do pai junto com a criança de um formulário com informações de saúde do aluno. 

Em casa

A coordenadora da Divisão de Doenças Transmissíveis da Semus, Socorro Sarmento, alerta ainda para os pais assinam o termo que os alunos levarão para casa autorizando a inclusão do  filho no inquérito.

As informações sobre estado de saúde da criança ajudarão a Semus a identificar quais alunos necessitam de atendimento e início imediato do tratamento para hanseníase e tracoma, que são gratuitos.

Segundo o secretário da Saúde de Palmas, Walter Balestra, o objetivo do inquérito é identificar crianças com essas doenças, que podem interferir no rendimento escolar e desenvolvimento da criança.

Hanseníase

No Brasil a Hanseníase ainda persiste como problema de saúde pública, sendo que o Tocantins é o segundo estado brasileiro com maior coeficiente de detecção de casos novos em todo País e o primeiro no que se refere ao coeficiente de detecção de menores de 15 anos.

No ano de 2011 o Tocantins registrou um coeficiente de detecção geral de 71,28/100.000 habitantes e um coeficiente em menores de 15 anos de 19,10/100.000 habitantes, ambos indicadores considerados hiperendêmicos segundo os parâmetros do Ministério da Saúde.

Tracoma

O tracoma é uma afecção inflamatória ocular crônica, cujo agente etiológico é a Chlamydia Trachomatis, uma bactéria gram-negativa, que produz uma ceratoconjuntivite crônica recidivante.

Em decorrência de infecções repetidas, pode ocorrer a formação de cicatrizes na conjuntiva tarsal superior propiciando a formação de entrópio e triquíase. Estas lesões provocam o atrito da pálpebra e dos cílios com a córnea, e podem levar à cegueira, que segundo estimativas globais da Organização Mundial de Saúde, em 2009, revelam que existem em torno de 41 milhões de pessoas no mundo com tracoma ativo, 8 milhões com triquíase tracomatosa e 1,8 milhão de cegos devido ao tracoma.

O tracoma em sua forma inflamatória ocorre, predominantemente, em crianças nos locais onde existem más condições sócio-econômicas, parecendo estar relacionado à falta de saneamento básico e higiene, e ao baixo nível educacional dos pais.

O segundo Inquérito Epidemiológico Nacional do Tracoma foi realizado no ano 2003, no Tocantins em 88 municípios com 144 escolas públicas com alunos de 1ª a 4ª série do ensino fundamental. Foram examinados 7.184 alunos, com 387 casos e 1.310 familiares examinados com 158 casos detectados. O Coeficiente de prevalência encontrado no Estado foi de 5,38% e a media nacional era de 5%. (Fonte: Ministério da Saúde)

Tracoma - Palmas 

Resultado do Exame Clínico do Tracoma nas escolas -1º a 5º ano -

2009

Examinados 7930

Positivos 311

2010

Examinados 6739

Positivos 204

2011

Examinados 6792

Positivos 112

2012

Examinados 5089

Positivos 117

Hanseníase - Palmas

Número de casos

2010: 7

2011: 9

2012: 9

2013: 1

Fonte: Secretaria Municipal de Saúde (Semus)