Polí­tica

Foto: Divulgação

A deputada federal Nilmar Ruiz (PEN) participou nesta quarta-feira, 24,  de audiência pública na Câmara dos Deputados que debateu soluções para combater o aumento no número de acidentes de trânsito no País. Segundo números divulgados por especialistas que participaram da reunião, 117 pessoas morrem por dia no Brasil vítima de acidentes com motocicleta.

Deputados e especialistas direcionaram a discussão para o cuidado dos motociclistas, as maiores vítimas de acidentes no trânsito. Em 15 anos, houve um aumento de 1040% no número de mortes de motociclistas nas ruas das cidades brasileiras. “Os números mostram que se faz urgente uma mudança na legislação brasileira que possa dar mais segurança aos motociclistas. Isso pode ocorrer exigindo um melhor treinamento dos condutores, uma fiscalização mais rídica e uma política de ações educativas que possa reduzir os números de acidentes com motos”, avalia Nilmar.

A situação das estradas também foi apontada como uma das causa do grande número de acidentes no País.

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) informou que a venda de motos no Brasil aumentou 13%, mas que o porcentual de mortes é ainda maior, 21%.  Números do IPEA também mostram que se gasta aproximadamente R$ 40 milhões por ano devido às perdas no trânsito. Nesse valor está calculada a perda da força produtiva dos jovens que morrem em grande número e que representam muito para o desenvolvimento do País.

O estudo apresentado pela professora da USP Maria Helena apontou que o Tocantins está entre os Estados que apresentam o maior número de mortes por acidente de motocicleta.

A deputada Nilmar levará as informações apresentadas durante a audiência na Câmara ao diretor geral do Detran do Tocantins, Coronel Júlio César Mamede, para que elas sirvam ao Estado na elaboração de políticas públicas para o setor.

Durante sua fala na audiência pública, Nilmar elogiou o desempenho do Detran do Tocantins na fiscalização das autoescolas e falou da ação de educação para o trânsito e cidadania que está sendo realizada pela Secretaria de Educação e pelo Detran. Porém, lamentou o alto índice de acidentes no Estado, falou da necessidade de maior fiscalização e de uma ação direta com os condutores de moto no sentido de reduzir efetivamente os acidentes nas cidades tocantinenses.

“É necessário um esforço conjunto no nosso Estado, envolvendo as prefeituras, os diversos órgãos e instituições, os sindicatos e os segmentos afins para que possamos mudar essa realidade que hoje nos coloca como um dos Estados com o maior índice de acidentes no Brasil”, reforça  Nilmar. (Assessoria de Imprensa)