Polí­tica

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha e o secretário de Governo e Relações Institucionais, Tiago Andrino reuniram os 16 vereadores da base na manhã desta quarta-feira, 15, onde explicaram o teor da Ação impetrada no Tribunal de Justiça pela procuradoria da Prefeitura e que quer a retirada da obrigatoriedade de autorização da Câmara para viagens inferiores a 15 dias.

Segundo Andrino contou ao Conexão Tocantins o prefeito explicou que sua intenção é fazer uma alteração na lei orgânica. “Hoje nossa lei orgânica é incompatível com a constituição.O que o prefeito pediu e é direito dele é simetria se colocar pra Palmas o que é igual  em outros lugares”, alegou o secretário.

Segundo ele houve um mal entendido com relação ao assunto o que teria provocado a manifestação e indignação de alguns vereadores da base e inclusive do presidente Major Negreiros (PP) na sessão desta terça-feira, 14. “ A Câmara não é parte neste processo, na verdade o prefeito quer fazer apenas um ajuste. Não existe uma discussão entre os poderes”, avaliou.

Conforme apurou o Conexão Tocantins a indignação de maioria dos vereadores da base foi por que não teriam sido comunicado com antecedência sobre a ação. Mas Andrino garante que o presidente da Casa sabia da Ação. 

A Câmara já foi notificada sobre a Ação.

Um novo encontro foi marcado para o final da tarde de hoje onde Andrino vai ouvir as demandas dos vereadores. Segundo o secretário de governo o mal estar foi superado.No encontro com os vereadores da base o prefeito mostrou ainda o novo gabinete e discutiu outros assuntos.

Como adiantado com exclusividade pelo Conexão Tocantins na segunda-feira, 13, a ação é assinada pelo procurador do município, Públio Borges e foi protocolada no dia 29 de abril.

Por: Maria José Cotirm

Tags: Carlos Amastha, Major Negreiros, Tiago Andrino