Estado

Desde a semana passada ocorre na Casa de Prisão Provisória de Palmas a retirada de efluentes por meio de caminhões limpa-fossas, de aproximadamente 96 mil litros por dia. A  medida é paliativa até a conclusão de contratação da empresa especializada no sistema de tratamento de efluentes, segundo informação da pasta de Defesa Social. A atividade visa garantir a cessação do dano ambiental, além de proporcionar aos servidores, reeducandos e visitantes, um espaço mais agradável e livre de mau cheiro.

A pasta informou que se encontra em análise, pela equipe técnica, proposta de duas empresas, que serão avaliadas do ponto de vista custo-benefício e desenvolvimento sustentável.

Segundo o superintendente do Sistema Penitenciário e Prisional do Estado, Walderi Francisco de Carvalho Oliveira, o Estado tem total interesse em proporcionar ambientes prisionais onde a valorização humana seja o principal alvo. “Nosso trabalho é voltado para atender da melhor forma possível todas as pessoas envolvidas no Sistema, seja a população carcerária, internos ou demais envolvidos. Estamos na busca constante de alternativas para a melhoria do Sistema Penitenciário e Prisional do Estado”, finaliza. (Com informação da Sedes)