Estado

Alguns servidores relataram ao Conexão Tocantins que receberam o salário deste mês com desconto indevido. Várias situações inclusive foram constatadas pelo Sindicato dos Profissionais de Educação Física, como confirmou o presidente Luciano Lucas. Outra reclamação é com relação à falta de disponibilização do contra-cheque.Um dos servidores diz ter recebido R$ 600 a menos.

O problema seria em razão da mudança do sistema de Folha de pagamento do Estado que passou a ser processada pelo sistema conhecido como Ergon. Em entrevista ao Conexão Tocantins o secretário de Administração, Lúcio Mascarenhas admitiu que uma margem de erro já estava calculada por causa da mudança do sistema. “Fizemos uma mudança. Todos os RHs trabalharam para isso. Fizemos uma migração de 20 anos de informações eu não tinha a mínima dúvida de que daria algum problema”, afirmou o secretário.

A orientação do secretário é para que os servidores que se sintam prejudicados procurem imediatamente o setor de Recursos Humanos da pasta que trabalha para informar o ocorrido. “ Era previsto um erro de 6 a 7% mas temos uma equipe preparada para analisar e resolver os problemas caso a caso”, frisou.

O secretário elogiou o novo sistema e disse que ele representa um avanço para melhorar a transparência na folha de pagamento. Segundo ele, desde 2006  o Estado foi presenteado com o novo sistema que custa por volta de R$ 27 milhões mas conforme o secretário, a atual gestão conseguiu instalar por apenas R$ 1,8 mi. O valor foi pago pelo Programa Nacional de apoio à Modernização da Gestão e do Planejamento dos Estados Brasileiros e do Distrito Federal (PNAGE), com contrapartida estadual de R$ 300 mil.

O sistema utilizado antes era o Sigesp que já estava ultrapassado.Conforme a Secad informou o próximo passo é a descentralização da folha para os órgãos