Palmas

Foto: Divulgação

Já tomou conta nas redes sociais o convite para um protesto pré-agendado até então para o dia 28 deste mês onde alguns cidadãos palmenses querem manifestar contra o monopólio do transporte Coletivo na capital. A atual empresa responsável, conforme informou o secretário de Acessibilidade, Mobilidade e Transporte Ricardo Blindo ao Conexão Tocantins tem a concessão por 20 anos prorrogáveis por mais 20, conforme contrato.

Vários ativistas e simpatizantes da causa já começam a confirmar presença para a mobilização que pretende ir ás ruas de Palmas contra a empresa responsável pela prestação de serviços.

“Já se passou a hora da população dessa querida cidade ficar calada com o monopólio existente no transporte publico, aqui possuímos apenas uma empresa de transporte coletivo que é a Miracema, e a muito tempo sofremos com a super lotação de ônibus, acidentes relacionados ao transporte, pessoas que até mesmo não utilizam do transporte sofrem com as imprudências dos motorista que além de mal remunerados são mal preparados para exercer a sua função”, diz um dos organizadores do manifesto na página criada para o assunto na internet.

A intenção também é pegar o embalo da manifestação em São Paulo para exigir melhorias no transporte coletivo. “Vamos lá em prol da democracia, aproveitar o momento que se passa para erguer a voz pelos nosso direitos, nossa opinião ouvida vai criar uma condição para outras futuras manifestação e assim iremos estabelecer a verdadeira democracia”, convida a organização do evento.

Muitos ativistas estão sugerindo que a data seja antecipada. Outros querem diálogo com a Polícia Militar para que não haja excessos.

Como o Conexão Tocantins já anunciou nesta sexta-feira, 14, está ,marcada para o dia 25 a primeira reunião do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte que tem a participação de vários setores da sociedade, inclusive de portadores de deficiência e idosos. Há indicativos de que a tarifa atual de R$ 2,50 possa aumentar, como já pediu a empresa responsável pelo sistema alegando que os custos com insumos aumentaram mas o prefeito de Palmas foi claro nesta sexta-feira ao dizer que não permitirá reajuste sem que as melhorias e investimentos sejam feitos. “Nem precisa de aumento para esse serviço.A redução dos impostos federais deram fôlego para pagar os aumentos de custos. Aumento apenas com planilha,com melhorias implantadas.De promessas nem com banda de musica”, se manifestou hoje através de uma rede social.

Com relação a investimentos o secretário disse que já apresentou projeto junto ao Ministério das Cidades no valor estimado em R$ 130 milhões que tem como intenção melhorar e climatizar as estações bem como aumentar a frota. A prefeitura, que fez um amplo estudo, deve discutir com o conselho outras melhorias para o atraso, a superlotação, dentre outros aspectos tão reclamados pelos usuários.

Por enquanto o discurso do presidente do Sindicato das Empresas de Transportes Coletivo Urbano de Passageiros do Tocantins (Seturb), José Antônio dos Santos Filho, o Toninho da Miracema é de que o possível reajuste seja em consenso com os setores da sociedade.