Saúde

Foto: Márcio Vieira

No Dia Mundial do Orgulho Autista, lembrado nesta terça-feira, 18, as pessoas que vivem com este tipo de transtorno e as que convivem, recebem uma boa notícia. Ainda este semestre deve ser ampliado o atendimento no Centro Especializado de Reabilitação de Palmas (CER II) para pacientes com deficiências intelectuais, como autismo e Síndrome de Down. Até agora, apenas portadores de necessidades físicas especiais tinham acesso ao tratamento pelo CER. Estão sendo investidos nas obras de adequação do espaço R$ 1,6 milhão – recurso do Ministério da Saúde.

Conforme a Gerente Estadual de Atenção a Saúde da Pessoa com Deficiência da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Raidênia Campos, o CER II recebe atualmente 84 pacientes ao mês, chegando a realizar 327 atendimentos neste mesmo período. “Com a habilitação da modalidade de serviço intelectual iremos ampliar o número de usuários para 400 pacientes por mês”.

Ainda segundo a gerente da Sesau, os novos pacientes vão receber atendimento especializado no centro. “No CER II realizaremos procedimento de avaliação clínica e funcional, exames de eletroneuromiografia, fisioterapia individual e em grupo, terapia ocupacional, fonoaudiologia, orientação em cuidados de enfermagem e preparação do paciente para o convívio social e familiar”, destaca.

Investimentos

Através do recurso disponibilizado pelo Governo Federal, no valor de R$ 1,6 milhão, o CER está passando por adequação do espaço físico, compra de equipamentos e adequação do quadro de profissionais.  O Centro ainda terá de um micro-ônibus adaptado para utilização como unidade de transporte sanitário adaptado, tendo por finalidade compor a Rede de Cuidados a Pessoa com Deficiência no Estado do Tocantins.  

O custeio da habilitação do CER II de Palmas é de R$ 140 mil por mês. Valor investido em infraestrutura física e de pessoal.  “No CER II de Palmas contamos com corpo clínico multidisciplinar composto por profissionais como assistente social, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, nutricionista, psicólogo, terapeuta ocupacional, enfermeiro, clínico geral, oftalmologista, ortopedista, pediatra e neurologista”, explica Raidênia Campos. (ATN)