Estado

Foto: Divulgação

Com cartazes e pires nas mãos, 89 prefeitos de todas as regiões do Estado do Tocantins estão bloqueando a BR-153, em Paraíso do Tocantins, em protesto contra a crise financeira que os municípios estão enfrentando.

Coordenados pela Associação Tocantinense de Municípios (ATM), os gestores municipais invadiram a rodovia, pedindo reposição imediata das perdas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e redistribuição do bolo tributário.

“Não podemos mais continuar administrando os nossos municípios, com tantos encargos e tão pouca verba”, afirma Leonardo Sette Cintra, prefeito de Almas e presidente da ATM.

Para o prefeito de Paraíso do Tocantins, Moisés Avelino, o manifesto que os gestores fazem na rodovia servirá para reflexão da sociedade e das autoridades. “Estamos ha muito tempo reivindicando justiça na repartição do bolo tributário, no entanto, não fomos ainda ouvidos e a sociedade precisa saber disso”, desabafa o prefeito.

Demissões

A carência de recursos, o excesso de encargos e o comprometimento da receita com pagamentos de dívidas, como o parcelamento do INSS, por exemplo, são citados pelos prefeitos manifestantes como um grande gargalo na administração municipal.

“Para cumprir com a Lei de Responsabilidade Fiscal, tivemos de iniciar demissões para adequação das finanças, um ato triste e indesejado por todos nós”, reclama o prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano.

Segundo o prefeito de Miranorte, Frederico de Melo, as demissões já se iniciaram e a tendência é o agravamento da crise. “Nossa receita não acompanha o aumento do salário mínimo, nem a inflação e ainda por cima, o Governo Federal promove a desoneração do IPI, às custas das prefeituras”, explica o prefeito.

Ao longo do trecho da BR-153, uma quilométrica fila de veículos se forma em função do impedimento do tráfego. Policiais Militares, Rodoviários Federais e Corpo de Bombeiros estão dando cobertura ao manifesto dos prefeitos.