Polí­tica

Foto: Divulgação

Conforme já era previsto o vereador do PMDB, Joel Borges resolveu entregar a liderança do prefeito Carlos Amastha (PP) na Câmara de Palmas. A saída da liderança acontece após a rejeição do projeto do Executivo que tratava da criação da Agência de Águas e também após formalização da abertura da CPI do lixo. Vereadores governistas ajudaram nas duas articulações.

Joel deixou a liderança sem críticas à atual gestão e argumentou ainda que quer se dedicar mais á sua atuação de vereador.

Segundo o parlamentar, a decisão foi tomada após muita reflexão. “É uma decisão política, não se trata de momento de crise com o Executivo”, disse ele.

O vereador explicou ainda que a sua saída não esta relacionada a crise política, mas que se fosse isto teria tomado decisão contrária. Joel Borges disse  que também não vê crise do parlamento com o executivo, mas que em votações podem haver opiniões diferentes, culminado em votações independentes como ocorreu na sessão extraordinária.   

De acordo com o parlamentar, ele deixa a liderança, mas não a base e que sai de consciência tranquila, uma vez que procurou agir com equilíbrio e transparência e resultado disto foram as aprovações do executivo.  

Ele também disse que com a sua saída será possível colocar em pratica os seus projetos políticos, ampliando a sua atuação parlamentar. “Desejo ser mais vereador e colocar em pratica os projetos que idealizei”.

Joel Borges finalizou o discurso pedindo ao Executivo que olhe com mais cuidado para o líder do governo e que procure informá-lo de todas as ações e projetos, e o tenha como amigo incondicional.

O nome mais cotado para assumir a vaga de Joel é o vereador Valdemar Junior do PSD que tem sido o maior defensor da gestão de Amastha mas ele terá que escolher entre permanecer na Casa de Leis ou retornar para o comando da Secretaria de Meio Ambiente.