Polí­tica

Foto: Divulgação

Após a rejeição das contas de 2009 dos ex-governadores Carlos Gaguim e Marcelo Miranda na manhã desta quinta-feira, 5, ainda permanece a dúvida sobre quais deputados votaram a favor do parecer do Tribunal de Contas do Estado  (TCE-TO) pela rejeição já que o placar registrou somente nove votos a favor mas 11 declararam ter votado pela aprovação. O placar geral da votação foi 9 a 13.

O clima no PMDB esquentou com a votação já que há a possibilidade de dois deputados do partido, Iderval Silva e Vilmar do Detran,  terem votado pela rejeição. Alguns parlamentares como o José Bonifácio por exemplo chegaram a dizer que quem derrotou o Marcelo em plenário foi o próprio PMDB.

O Conexão Tocantins entrou em contato com o deputado Iderval para conversar sobre o assunto e ele não quis informar como foi seu voto. Ele portanto disse que faltou articulação política do PMDB para fazer contato com os deputados visando a aprovação das contas. “Faltou organização para trabalhar o voto”, justificou. Ele frisou que ninguém entrou em contato com ele para tratar do assunto e fazer a articulação para a votação.

Ele mencionou que na sua opinião todos os deputados do PMDB presentes na sessão votaram pela aprovação das contas de 2009. “Na minha opinião o PMDB fez o correto, as coisas ali não são como muitos falaram”, frisou. O parlamentar disse ainda que está tentando assimilar o que aconteceu. Sobre a acusação de que ele votou contra o partido ele frisou que não há como ninguém provar que ele fez isso.

O deputado federal e presidente regional do partido, Junior Coimbra afirmou ao Conexão Tocantins que vai conversar com os deputados do PMDB sobre a votação. “Não podemos fazer juízo de valor antes de ouvi-los porque destes que disseram que votaram a favor podem não ter votado. Infelizmente o voto secreto aceita esse tipo de situação”, afirmou.

O presidente disse ainda que se solidariza com Marcelo Miranda e que se tivesse sido informado da votação das contas teria ajudado na articulação.

Críticas

Muitos questionamentos foram apresentados principalmente pelos deputados de oposição inclusive com relação a atuação do presidente Sandoval Cardoso (PSD). “Achei a condução da sessão equivocada, ele conduziu mal e não foi democrático”, avaliou o deputado estadual do PV, Marcelo Lelis. Para o parlamentar, dentre 11 que declararam ter votado pela aprovação há uns dois ou três que estão mentindo. “ Tem gente enganando ali. Não tem como ninguém ter noção do que votou ou não votou. Dentro dos 11 tem alguém mentindo”, frisou.

Foram 22 votos. Faltaram na sessão os deputados Wanderlei Barbosa (PSB) e o José Augusto Pugliese (PMDB).Disseram ter votado pela aprovação:

Manoel Queiroz (PPS), Sargento Aragão (PPS), Eli Borges (PMDB), Josi Nunes (PMDB), José Roberto Fgorzani (PT), José Bonifário (PR), Stalin Bucar (PR), Freire Junior (PSDB), Marcelo Lelis (PV) e Luana Ribeiro (PR).

As contas de 2009 foram rejeitadas mas as de 2010 foram aprovadas pelos parlamentares.