Saúde

Foto: Luciano Ribeiro/ATN

Como parte do processo de adaptação dos médicos cubanos que irão atuar no Tocantins, os 18 profissionais que vieram para o Estado conheceram nesta quinta-feira, 19, Unidades Básicas de Saúde (UBS) em Palmas. Na ocasião, os médicos se dividiram em três grupos de seis profissionais e visitaram os postos de saúde do Lago Sul, na quadra 1.206 Sul e 503 Norte. Nas unidades, tiveram contato com profissionais brasileiros, pacientes e conheceram a estrutura de saúde local.

Em uma das unidades visitadas, o posto de saúde da 1.206 Sul, os médicos vindos de Cuba viram como funciona a Farmácia da unidade e aprenderam sobre os medicamentos disponíveis para a população, além de receberem informações sobre os modelos de receita médica e os procedimentos adotados para cada tipo de medicamento. Após, os médicos visitaram corredores, consultórios e área administrativa da Unidade de Saúde.

Muito interessados, perguntavam a todo momento sobre procedimentos de consulta, exames e a estrutura médica do Estado. Dos profissionais que trabalham no posto de saúde, ouviram explicações e relatos de atendimentos.

Para a assistente social Maria os Reis, coordenadora da Unidade Básica de Saúde, a chegada dos profissionais ao Brasil será um alento principalmente para localidades onde há falta de médicos. “É muito importante. Aqui na unidade, temos equipes que atendem, mas em vários locais precisa de médicos. Estamos com expectativas positivas com a chegada deles”, frisou.

Já a diarista Viviane Rodrigues Neves, que levou a pequena Ana Vitória, de pouco mais de um ano, a uma consulta, frisou que o reforço dos profissionais do Programa Mais Médicos será importante para as unidades de saúde. “Se é para melhorar a vida das pessoas, estou de acordo. Faltam muitos médicos e, se está faltando, que venham”, disse.

Estrutura

A estrutura organizada da unidade de saúde que visitou, chamou a atenção do médico Yovanez Diaz, que já trabalhou no Haiti por um período. Ele salientou, contudo, que apesar de importante, a estrutura não deve ser o principal foco dos médicos ao atender pacientes. “Ficamos muito impressionados com a estrutura, tem organização e equipe. Esperamos que tenha estrutura (onde atenderá), mas sabemos que a zona rural tem muitas necessidades. Na hora do atendimento, o que importa é o olho do médico”, disse.

Diaz, que será encaminhado ao municípios de Carrasco Bonito, no Bico do Papagaio, frisou que a intenção do grupo de médicos no Brasil é levar saúde de qualidade para a população. O médico destacou ainda que pretende usar sua experiência em zonas pobres e conflituosas, como o Haiti. “Nossa intenção, quando viemos ao Brasil era atender à comunidade, pessoas que precisam”, completou. (ATN)