Polí­tica

Foto: Divulgação

Durante a inauguração da Frente Parlamentar sobre Marketing Multinível no Brasil, na manhã desta quarta-feira, 12, na Câmara dos Deputados, o deputado Angelo Agnolin (PDT-TO), 4° secretário da Frente, voltou a defender a normatização da atividade de Marketing Multinível e a punição de pessoas que usam essa atividade para a prática de pirâmide financeira.

Segundo Agnolin, o propósito principal da Frente é conseguir desmistificar as nuances da atividade de marketing multinível e, a partir daí, iniciar o processo de elaboração de uma lei voltada a definir a atuação desse segmento, de forma que possibilite a inibição de atuações fraudulentas de empresas mal intencionadas.

Para Agnolin, é necessário que os produtos vendidos dentro das redes multiníveis tenham aceitação no mercado, possuam valor justo e não sejam apenas um meio para induzir mais pessoas a integrarem a rede. “Antes de qualquer coisa, devemos definir claramente o que é produto oferecido e o que é serviço prestado por essas empresas que praticam o marketing multinível e assim seguirmos para o processo de normatização dessas atividades”, argumentou o deputado.

Na ocasião, o deputado defendeu a proteção do livre mercado e justificou que o cerceamento de atividades empresariais trazem prejuízos irreparáveis à economia. Agnolin defendeu ainda o reconhecimento do trabalho de empresas que atuam pautadas pela boa fé e punição rigorosa àquelas que visam ludibriar ou prejudicar seus investidores e/ou consumidores. “Devemos criar uma legislação capaz de dar condições dignas de trabalho para as empresas que contribuem com o bem estar do cidadão e com o desenvolvimento da economia do país; para isso temos que buscar mecanismos capazes de acabar com o cipoal burocrático da atividade empresarial no Brasil”, defendeu o deputado.