Estado

Foto: Divulgação

O deputado federal licenciado e atual secretário de Esportes, Eduardo Gomes encaminhou nota sobre a repercussão de um possível envolvimento com uma quadrilha que desviava fundos de pensão. O assunto foi inclusive retratado no Jornal Nacional citando o nome do deputado como um dos que intermediava contatos com prefeituras do Tocantins.

“ Não procedem as ilações de que eu possa ter participado das supostas  irregularidades envolvendo fundos de pensão que vem sendo investigadas pela Justiça”, afirmou. Ele alega que nenhum prefeito que apresentou ao doleiro Fayed Trabulsi fechou negócio com a suposta quadrilha. “ Conheci Fayed Trabulsi em Brasília há cerca de dois anos. Em meados de 2011, quando o conheci, nem eu, nem ninguém, conhecia as suspeitas que agora se tornaram públicas.  Nenhum prefeito que apresentei a Fayed Trabulsi fez qualquer investimento nos fundos que ele administrava. Esse é um fato que pode ser comprovado facilmente”, disse.

O parlamentar porém admite que pediu empréstimo a Fayed. “ No ano passado, pedi a Fayed, então um empresário conhecido em Brasília, por sua atuação no ramo de factoring, dois empréstimos pessoais. Um para mim e outro para um dos meus assessores, Amando Almeida Leão Neto. O empréstimo recebido por Amando em 2012 foi declarado por ele à Receita Federal. O recebido por mim, em 2013, será informado à Receita Federal em 2014, como ocorre com todos os brasileiros. Os dois empréstimos foram concedidos com base em cheques pessoais, dados como garantia de pagamento”, explicou.

O deputado diz esperar que a Justiça possa apurar esses fatos com celeridade e restabelecer a verdade o mais rápido possível.