Economia

Foto: Divulgação

Na noite desta última segunda-feira, dia 14, o Sindicato dos Bancários do Tocantins reuniu os empregados do Banco da Amazônia em Assembleia Geral Extraordinária, que aconteceu em Palmas, Araguaína e Gurupi, para discutir sobre a proposta apresentada de reajuste salarial de 8%.

Durante a ocasião 75% dos bancários recusaram a proposta salarial e consequentemente permanecerão em greve, em todo Estado.

De acordo com o presidente do Sindicato, Crispim Batista Filho, a proposta específica apresentada para esses bancários é fraca e desgastante, o que fez com que a grande maioria da classe recusasse a proposta.

“Os empregados permanecerão em greve por tempo indeterminado, até que seja feita uma proposta justa e coerente com a realidade vivida por esses bancários. As principais reivindicações são por um plano de cargos, carreiras e salários, pelo fim da lateralidade, desvio e acúmulo de função e que seja resolvido o problema da previdência privada (CAPAF). Além disso, os bancários reivindicam o direito de ter representatividade no comitê administrativo da entidade”, destacou o presidente.