Estado

Foto: Divulgação

Com a meta de universalizar a rede de saneamento do Estado, o governo do Tocantins, juntamente com a Foz Saneatins, deve investir, até 2017, cerca de R$ 1 bilhão no sistema de tratamento de água e esgoto. Ao todo, o Estado conta, hoje, com pouco mais de 20% da população atendida com rede de saneamento. A meta do governo é que, em quatro anos, este índice seja de 80%.

O saneamento básico do Tocantins é hoje dividido entre a Agência Tocantinense de Saneamento (ATS), que atende a 78 municípios, e a Foz Saneatins, com outros 27. Mesmo com os índices gerais ainda relativamente baixos, o Tocantins, conforme o diretor de Relações Institucionais da Saneatins, Rodrigo Vilar, se destaca no tratamento de água para populações urbanas. “O Tocantins hoje tem um sistema de tratamento de água referência, com 92% da população em área urbana atendida. E isso são dados do Sistema Nacional de Informação de Saneamento”, completou.

Conforme o diretor da Foz Saneatins, neste primeiro ano de investimentos maciços na universalização do sistema de saneamento, os esforços estão sendo direcionados para a implantação das Estações de Tratamento de Esgoto (ETE). “Para podermos construir as redes, nós precisamos das Estações de Tratamento”, explicou. Segundo Vilar, a ETE de Palmas, a maior estação de tratamento do Tocantins, inaugurada este ano, já é uma referência e foi construída para atender cerca de 85 mil pessoas  inicialmente. Além disso, até dezembro do ano que vem, a Estação de Tratamento de Esgoto de Araguaína deve ser concluída, segundo o diretor.

A meta do Plano Nacional de Tratamento de Água e Esgoto é que todo o sistema de saneamento esteja universalizado até 2030. No Tocantins, contudo, levando em consideração o volume de investimentos e a programação do projeto, a meta deverá ser adiantada em 13 anos. “No Tocantins podemos dizer que temos, hoje, proporcionalmente, o maior programa de Saneamento do país. Hoje temos R$ 1 bilhão de investimentos se concretizando para os setor”, pontuou.

O planejamento e as políticas públicas do governo do Estado para o saneamento básico foram fundamentais para a implementação desses investimentos. Para o presidente da Agência Tocantinense de Saneamento (ATS), Edmundo Galdino, a universalização do saneamento é meta prioritária do governo do Tocantins. “O Tocantins pode ser o primeiro estado a alcançar a universalização até 2017”, declarou o presidente, ressaltando que os recursos aplicados são suficientes para ampliar o serviço de fornecimento de água e coleta de esgoto sanitário elevando o Estado a condição de universalização plena.

Participação das prefeituras

Para que o sistema de saneamento do Tocantins seja efetivamente universalizado é preciso que as Prefeituras priorizem a elaboração dos Planos Municipais de Tratamento de Água e Esgoto. “As Prefeituras tem, como prazo para a elaboração de seus planos de tratamento, o final deste ano. E isso é fundamental para a captação de recursos”, alertou o diretor de Relações Institucionais da Foz Saneatins. (ATM)