Polí­tica

Foto: Divulgação

Foi apresentado na sessão desta quarta-feira, 18, na Assembleia legislativa um requerimento de autoria do deputado Marcelo Lelis (PV) onde pede que o governador Siqueira Campos dê esclarecimentos sobre a nomeação do novo presidente do Igeprev, Francisco Flávio Sales Barbosa.

Lelis quer explicações do governo sobre as informações de que o recém-empossado presidente do IGEPREV já teria tido seus bens bloqueados devido a investigações de comprometimento patrimonial e financeiro de empresa de investimentos Rótula S/A e São Paulo Corretora de Valores, quando conselheiro da mesma, e também na época que era presidente do Banco Regional de Brasília foi convidado a explicar seu nome envolvido na Operação Navalha.

“Como amplamente divulgado através dos veículos de comunicação do estado é delicada e preocupante a situação do Instituto Previdenciário requerendo, porém cautela nos assuntos em que o envolve. Enfim, ratificamos nossa preocupação reafirmando o compromisso com o sindicato e servidores, bem como toda a população tocantinense”, afirmou o deputado.

O deputado mencionou que o presidente do órgão deve ser um servidor de carreira. Conforme ele a nomeação pegou todos de surpresa. “ Não é um cidadão tocantinense, alguém que vive aqui”, disse.

 O deputado Sargento Aragão (Pros), Manoel Queiroz (PPS) e José Roberto Forzani (PT) pediram a subscrição do requerimento de Lelis. “As informações que tem dele não são boas”, frisou Aragão.

“Com todos os escândalos dos últimos meses o governo deveria ter no mínimo o bom senso de sentar junto com os servidores para discutir os passos no Igeprev mas não, ele (o governo) envereda pelo caminho da escuridão, do mal feito”, questionou José Roberto  afirmando ainda que o presidente do Igeprev não tem respaldo por parte dos servidores.O deputado pediu que a Assembleia Legislativa instale a CPI do Igeprev.

O petista frisou ainda que a CPI do Igeprev já pode ser instalada já a CPI da Telefonia foi encerrada.