Campo

Foto: Divulgação

A produtividade de soja no Tocantins tem boas perspectivas para a próxima safra 2013/2014, com um aumento de 28% na produção. É o que aponta o estudo divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Conhecendo o potencial agrícola da região, a Fundação Universidade do Tocantins (Unitins) realiza no Complexo de Ciências Agrárias (CCA), o projeto Influência do Sistema de Plantio Cruzado na Produtividade da Soja.

O objetivo desse estudo é alcançar altas produtividades com a redução de custos, em menores áreas de plantio. O plantio cruzado de soja é uma nova tecnologia agrícola que vem sendo empregada nos últimos anos em diversas regiões do Brasil, no entanto, essa técnica ainda não foi amplamente difundida no Estado por carência de pesquisas.

Com isso, os trabalhos no CCA visam suprimir essa demanda, estudando o solo, o clima, variedades de soja e a adubação para o sistema de semeadura cruzada. “Estamos estudando como essa técnica vai se adaptar ao clima e ao solo tocantinense, por enquanto nossos experimentos são feitos em pequenas áreas de plantio. Assim podemos avaliar melhor todas as condições”, é o que afirma o engenheiro agrônomo e coordenador do projeto, Thadeu Teixeira Júnior.

 O pesquisador acredita a região possui um grande potencial para o plantio cruzado. Segundo ele, neste sistema de semeadura o produtor faz o plantio com as sementes em forma de linha em um sentido, e em seguida, realiza outra operação similar no sentindo oposto à primeira, utilizando o dobro de sementes. “Isso faz com que a área apresente a forma de “xadrez”, depois dos grãos germinados”, acrescenta Teixeira.

Potencial

O Tocantins é o maior produtor de grãos da região norte, com cerca de 62% do da produção de soja. No estudo divulgado pelo Conab, a área plantada com a oleaginosa no Estado deverá aumentar em torno de 17,7%, chegando a 650 mil hectares de terras cultivadas, a produção poderá aumentar em torno de 28% com 1,97milhões de toneladas colhidas.

Com a necessidade de expandir as fronteiras agrícolas da produção devido a crescente procura da commodity no mercado nacional e internacional, o Conselho Estratégico de Soja do Brasil (CESB) recomenda a realização de pesquisas com o intuito de buscar formas alternativas para o plantio. “Esse estudo engloba justamente o que o Conselho vem preconizando para o plantio da soja, estamos tentado alcançar altas produtividades com a redução da área plantada, com isso podemos dizer que o Tocantins também está à frente com novas pesquisas para o cultivo desse grão, seguindo a tendência nacional,” pontua o pesquisador. (Ascom Unitins)