Polí­cia

O vereador do PSDB de Combinado, Antônio Francisco da Fonseca protocolou denúncia no Ministério Público Estadual do Tocantins onde acusa a prefeita da cidade, Maria do Socorro Ferreira de ter vendido uma área de 720 m²  que pertencia ao município por R$ 8 mil. A área  a qual ele se refere é o Lote nº 17, da Quadra 05, situado à Avenida Rio Grande do Sul, Setor Girassois na cidade de Combinado.

 “Requero que seja tomada as medidas cabíveis, tudo conforme couber a lei,  para que o referido terreno seja retornado ao patrimônio público de Combinado”, pediu o vereador na denúncia que apresentou ao MPE na tarde desta quinta-feira, 27, . Ele anexou o requerimento de quitação do imóvel perante a prefeitura e a certidão de inteiro teor do imóvel que mostra que a gestora vendeu a área para Dictino Matias. “ Ela vender uma área do município e ficou com o dinheiro e nada disso passou pela Câmara. Ela achou que nós nunca iríamos descobri. Estão aqui os documentos que provam”, frisou.

 No requerimento, assinado pela prefeita, consta que o lote foi quitado em maio de 2013 e no dia 29 do mesmo mês a compra foi efetivada. O valor estimado do terreno, segundo o vereador, seria na verdade de cerca de R$ 1 mi e a gestora teria colocado um preço simbólico para burlar a questão fiscal. “Ela colocou o preço simbólico. Aquele terreno ali vale quase R$ 1 milhão”, disse.

 O Conexão Tocantins entrou em contato com a prefeita Maria do Socorro para ouvi-la sobre a acusação e ela negou que tenha vendido a área. “Isso nunca aconteceu. Esse vereador fica só querendo atrapalhar e fica direto colocando processos contra mim”, disse. Ela alegou perseguição política por parte do vereador.

 Questionada se a área então ainda seria de propriedade do município ela afirmou que o prefeito anterior doou lotes sem passar pela aprovação da Câmara.