Palmas

Foto: Divulgação

Na manhã desta quinta-feira, 20, em sessão especial na Câmara Municipal de Palmas, o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, e secretários municipais de Infraestrutura e Serviços Públicos, Marcílio Ávila, de Habitação, Aleandro Lacerda, de Acessibilidade, Mobilidade e Transporte, Christian Zini, apresentaram aos vereadores e demais presentes, os projetos aprovados para a capital pelo Governo Federal na última quinta-feira, 13, em Brasília.

Iniciando as apresentações o titular da Seisp, Marcílio Ávila, apresentou um balanço das prestações de contas de obras que serão entregues ainda este ano, como drenagem, pavimentação, reforma e construção de prédios públicos e demais obras que estão no cronograma.   “Não paralisamos os serviços de drenagem, mas agora vamos poder intensificar e aumentar este serviço”, ressaltou Àvila.

O secretário reforçou que foi realizado um planejamento para realização de drenagem e pavimentação nos locais em que a população mais necessita para execução do PAC2 2ª etapa. “Essas obras de macrodrenagem são fundamentais para o projeto BRT, e trata-se de um modelo de projeto mais moderno do mundo, que já foi testada, e se mostrou muito eficiente”, e  segundo o secretário, Palmas é uma cidade que se faz muitas obras e não se faz manutenção. “Estas intervenções são totalmente diferentes de outras realizadas anteriormente, mais modernas e mais eficientes”, afirmou Marcílio.

Bus Rapid Transit (BRT)

Crhistian Zini ressaltou que o sistema de transporte que vai ser implantado na Capital será pensado visando não apenas a melhoria imediata dos usuários dos transportes públicos, mas também visando o crescimento futuro da cidade. Zini ressaltou que o objetivo é incentivar as pessoas a deixarem seus veículos em casa, e passar a utilizar o transporte público. “Este sistema não contempla apenas o serviços de transporte, mas todo o sistema de segurança, transporte, drenagem e habitação”, completou.

Antes da sua explanação sobre o sistema  Bus Rapid Transit (BRT), o presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano de Palmas, Luis Masaru, ressaltou que este projeto surgiu da vontade do prefeito em incluir Palmas como uma cidade sustentável, e para isso,  uma série de fatores tem que ser levado em consideração, tais como, desenvolvimento social, infraestrutura, dentre outros.  “Este é um projeto amplo, conquistado, graças à habilidade do prefeito em captar estes recursos no Governo Federal”, disse Masaru.

O sistema  BRT  prevê a instalação de uma via rápida de transporte dinâmico de passageiros no canteiro central da Avenida Theotônio Segurado, ligando as regiões norte e sul da Capital ofertando um serviço de mobilidade urbana rápido, confortável, eficiente e de qualidade. 

A extensão do corredor será de 27,19 Km, com 28 estações de passagens, sete estações de integração sendo duas estações de integração multimodais (trincheiras) e mais cinco futuras. O projeto conta com dois terminais (Urbano em Taquaralto / Metropolitano na Avenida LO-27), 16,92 km de ciclovia com largura de 3m. Serão 85.720 m² de calçadas acessíveis em piso intertravado e com sete pontes, viadutos, elevados, sendo quatro exclusivos para o BRT.

Ao longo do percurso estão previstas as instalações de estações de integração multimodal que se conectarão às demais linhas. A estrutura de embarque e desembarque possibilitará aos usuários do transporte coletivo urbano o acesso a bens e serviços tais como emissão de documentos, plantões de vacinação, farmácias básicas, atendimento ao usuário, entre outros.

Habitação

O secretário de Habitação, Aleandro Lacerda, afirmou que a aprovação dos projetos representa um grande avanço para a Capital e ressaltou que o projeto irá viabilizar a construção de 6.176 unidades habitacionais em Palmas,  é o único que engloba mobilidade e habitação. “Essas unidades liberadas representam um avanço para reduzirmos o déficit habitacional além de solucionar os diversos problemas encontrados no transporte público coletivo, e  o apoio dos vereadores em aprovar projetos foi fundamental”, completou.

A liberação de recursos que irão viabilizar a construção de 6.176 unidades habitacionais totaliza um investimento de R$ 412,5 milhões. Do total viabilizado, 5.832 unidades são da faixa 01 do Programa Minha Casa, Minha Vida, voltado para famílias com renda de até R$ 1.600,00. As 3.816 casas e 2.016 apartamentos serão construídos em novos setores, Jardim América I e II, Jardim Vitória I e II e Jardim Irenilda, criados por meio da Lei Complementar nº 292/14, que delimita a Zona Especial de Interesse Social (Zeis) Palmas Sul.

O projeto prevê recursos para pavimentação asfáltica, drenagem pluvial, rede de água e esgoto, sinalização viária, equipamentos de esporte e lazer, como academia ao ar livre com pista de caminhada, além de equipamentos públicos, entre eles, duas escolas de tempo integral, Escola da Infância, dois Centros Municipais de Educação Infantil e três unidades de saúde.

Inserido no pacote de recursos liberados para habitação, está a construção de 344 unidades habitacionais voltadas preferencialmente para os servidores públicos municipais, com renda entre R$ 1.600,01 e R$ 3.275,00, sendo 204 apartamentos na quadra 406 Norte e 140 apartamentos na quadra 706 Sul. (Secom Palmas)

Confira aqui o vídeo sobre o projeto que será implantado na capital pela Prefeitura de Palmas.