Palmas

Foto: Divulgação

Foi realizada na manhã desta terça-feira, 25, uma reunião entre representantes do Sindicato dos Servidores Públicos de Palmas (Sisemp) e os secretários de Planejamento e Gestão, Francisco Viana, e de Saúde, Luis Teixeira, e o secretário executivo de Governo e Relações Institucionais, Adir Gentil. Na pauta as questões relacionadas a equiparação salarial dos servidores.

 Na ocasião, Adir Gentil explicou a necessidade de se fazer uma análise mais aprofundada sobre o tema. “Será feito um levantamento aprofundado e assim corrigir as distorções existentes. Não queremos trabalhar com o paliativo e nem beneficiar apenas uma categoria, mas que a valorização e reconhecimento do servidor seja justa e igualitária para todos”, explicou Adir.

 Adir ressaltou que foi realizada uma reforma tributária municipal e com isso a gestão espera que a arrecadação aumente, sendo necessário esperar os resultados destas receitas para depois discutir e apresentar uma solução para as demandas apresentadas pelos servidores.

 Foi solicitado à categoria um prazo de 90 dias para que as receitas municipais, derivadas dos aumentos de taxas e impostos, sejam analisadas e então será apresentada aos servidores uma proposta de como será feita a equiparação. A reunião ficou marcada para dia 07 de julho.

 Será realizada ainda uma reunião com o Sindicato, no dia 15 de maio, para apresentar os primeiros resultados, ou seja, uma prévia de como estão as receitas municipais até a data.

 Câmara de negociação

 O secretário de Planejamento de Gestão, Francisco Viana, também falou sobre o aprofundamento da discussão. “Após ser discutida e feita toda uma análise das demandas apresentadas, identificamos que é preciso um estudo mais aprofundado de maneira que o município atenda o que será proposto. Não vamos prometer o que não vamos cumprir”, afirmou Viana.

 Outra questão apresentada pelo secretário Francisco Viana foi o encaminhamento da criação das câmaras setoriais de negociação permanente para discutir questões funcionais, salariais, entre outras, com os servidores para o legislativo.

“É um processo que está na reta final e será possível a participação direta com dos servidores já nesta discussão da equiparação salarial”, afirmou.

 O secretário de Saúde, Luis Teixeira, destacou o empenho da gestão. “A equiparação é justa e este entendimento foi rápido. As dificuldades existem, mas a gestão é quem mais tem interesse em ser justa”, afirmou.

Reajuste

 Ainda na oportunidade, foi lembrado da negociação feita com os servidores administrativos da Educação e que se estende ao Quadro Geral e Saúde. A proposta consiste em reajuste de 8,32% para os professores acompanhado o piso nacional e 5,91% acrescido de reajuste 33% no auxílio alimentação, ou seja, os servidores recebem atualmente R$ 150 de auxílio o valor com o aumento será de R$ 200. O secretário informou que o aumento de 5,91% é referente ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2013, pois ainda não saiu o Índice deste ano.