Estado

Foto: Divulgação

Vinte e sete municípios do Tocantins que ficam às margens da BR 153, de Talismã à Aguiarnópolis serão alvo da Semana Social Cáritas, que aborda este ano, a Campanha da Fraternidade de 2014: “Fraternidade e o Tráfico Humano”, compreendendo de 31 de março a 8 de abril. O lançamento ocorre na manhã da próxima segunda-feira, 31, às 9h, no auditório da Assembleia Legislativa e a ação é promovida pela regional Norte 3 da CNBB e Secretaria de Defesa Social do Estado (Seds).

 O objetivo da semana é trabalhar contra o tráfico humano, aliciamentos e exploração de crianças, jovens e adultos. Para tanto, serão realizadas conversas e panfletagens com material informativo, preventivo sobre o tema. Representantes dos 27 municípios foram convidados a participar da ação, que teve sua área de atuação definida após conversas e levantamentos que os classificaram como locais de risco com a existência de um aglomerado de pessoas em situação de grande vulnerabilidade.

 A ação percorrerá postos de combustíveis, postos da Polícia Rodoviária Federal e rodoviárias. A primeira mobilização da equipe ocorre no Posto Trevo, em Taquaralto, no dia 1º de abril. 

 Conforme informações de pesquisa divulgada pelo Governo Federal em outubro de 2013, sobre tráfico de pessoas nas áreas da fronteira no Brasil, entre 2005 a 2011, 1/3 dos indiciados por tráfico de pessoas foram presos em regiões de fronteira. Dos 384 indiciados, 128 foram registrados nas fronteiras que têm 15.719km de extensão e percorre 11 Estados. O levantamento constatou que as pessoas são geralmente traficadas para fim de exploração sexual e trabalho escravo. Também detectou situações de pessoas traficadas para a prática de mendicância e crianças e adolescentes para a servidão doméstica. A maioria das vítimas são mulheres de 18 a 29 anos e crianças, travestis e transgêneros, geralmente, em condições de pobreza e conflitos familiares. 

 Para a coordenadora de Assistência ao Preso e ao Egresso, da Seds, Rosana Barreto, que coordena a ação, as mobilizações visam que crianças, adolescentes e adultos sigam sua vida sem que seus sonhos sejam interrompidos. “Creio que nós, enquanto coordenação, estamos cumprindo com nossa função social, porque não é possível ficar impassível, sabendo que seres humanos são tratados como mercadorias. E através desta campanha queremos identificar essa realidade e juntos realizar esse trabalho para que essas pessoas deixem de ser exploradas”. (Secretaria de Defesa Social)

 O evento de lançamento é aberto à toda a sociedade.