Esporte

Foto: Divulgação

“Nunca tive dúvida em algum momento, que isso seria feito para Palmas”, afirmou o prefeito Carlos Amastha, antes mesmo da confirmação que a Capital seria a sede dos Jogos Mundiais Indígenas. A certeza do prefeito foi confirmada pelo Comitê Intertribal Ciência e Memória Indígena (ITC), que teve o poder de decisão neste processo de escolha.

Para o Comitê, Palmas apresentou o melhor projeto técnico, e por isso foi escolhida para entrar na história como a primeira cidade do mundo a sediar os Jogos Mundiais Indígenas.

“Tenho certeza que a melhor coisa que aconteceu a esta cidade nos últimos 25 anos é a oportunidade que a gente vai ter de abrir para que o mundo nos conheça. A gente vai envolver todos os organismos internacionais, ONU, Organização Mundial da Saúde, Banco Mundial. O mundo inteiro vai saber que Palmas existe e, garanto uma coisa, os Jogos Mundiais Indígenas estão acontecendo no momento certo do desenvolvimento da humanidade. Essa recuperação de valores, das nossas raízes, sustentabilidade, todos esses conceitos que vão estar implícitos dentro desses Jogos”, reforçou Amastha.

A escolha sela um processo de candidatura que começou em agosto do ano passado, quando o prefeito Carlos Amastha e o presidente da Fundação Municipal de Esportes e Lazer (Fundesportes), Ten. Cleyton Alen estiveram em Cuiabá na Edição Nacional dos Jogos Indígenas para colocar a cidade de Palmas na disputa.

Desde então, a Prefeitura de Palmas manteve contato com o Ministério, recebeu visitas e elaborou o projeto técnico para os Jogos, decisivo na escolha. A previsão é que a competição seja realizada em julho de 2015.

“Foi um trabalho árduo e estamos muito satisfeitos, não só com a equipe da Fundesportes, mas de todas as pastas da Prefeitura, e outros órgãos que nos ajudaram neste processo. Nosso projeto é grandioso e agora o trabalho será ainda maior. Palmas será a única cidade do país a ter legado da Copa, das Olimpíadas, e dos Jogos Mundiais”, pontuou Ten. Cleyton Alen  em relação aos aparelhos esportivos que serão construídos.

A infraestrutura do evento, entre acomodações e instalações para os jogos contará com: aldeia para alojamento das etnias brasileiras, refeitório, oca digital, praça de alimentação com comidas típicas, campo de beisebol, raia olímpica, grande arena, museu do índio, feira de artesanato, Centro de Iniciação ao Esporte (legado das Olimpíadas) e Centro de Excelência de Futebol (legado da Copa do Mundo), além de salas de apoio técnico e destinadas à imprensa. 

Nos próximos dias, Palmas deve receber a visita de membros do ITC para dar andamento às questões referentes à realização dos Jogos.

Confira aqui o vídeo do Projeto dos Jogos Mundiais Indígenas 2015