Polí­tica

O pré-candidato do PT, Paulo Mourão lamentou a saída do pré-candidato do PP, Roberto Magno Martins Pires e considerou que a terceira via precisa agora ampliar para mais partidos. “Lamento a  saída do Roberto Pires. Defendo a unidade das oposições. É preciso ter maturidade e compreensão para lidar com esse momento”, frisou.

Com a saída de Pires se fortalece a possibilidade do PP coligar com o  governo estadual. “Não creio que o PP faça tal composição com o governo e se isso vir a acontecer antes do fato consumado com certeza vão dialogar conosco”, frisou. Para Mourão o atual governo tem o mesmo modus operandi do anterior. “É o mesmo governo, sem qualificação de gestão. Espero que o idealismo possa ser maior que desejos e problemas pessoais”, afirmou.

Ele voltou a comentar a posição do coordenador político da terceira via, Carlos Amastha que já demonstrou preferência pelo nome de Sandoval para o governo. “Respeito a mudança de posição dele mas eu continuo pensando como sempre não mudei. Temos que fazer um agrupamento político em defesa do Estado”, frisou.

O presidente do PSL, partido que também compõe a terceira via, Cristian Zini afirmou ao Conexão Tocantins que teve uma reunião na manhã de hoje na qual o grupo conversou e afinou alguns encaminhamentos. “Deixamos claro que vamos andar em grupo e definir as coisas em bloco”, disse.

Zini disse que a saída de Pires não é o fim da terceira via. “Temos novos projetos e vamos avaliar outros nomes”, considerou.