Polí­tica

Foto: Divulgação

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP), disse que está decepcionado com a declaração de apoio à reeleição do governador Sandoval Cardoso (SD) feita na manhã desta quinta-feira, 29, pelo presidente regional do seu partido, deputado federal Lázaro Botelho. “Estou tremendamente decepcionado com esta declaração de apoio do meu partido porque eu já tinha visto que neste pacote nós não estaríamos. Eu sinceramente não entendo o PP estar declarando apoio, a quê e a quem! Eu vejo a impossibilidade de fazer uma aliança que você não sabe a quem! Quem são os candidatos da majoritária desta chapa? Quem são? Eu não faço aliança sem saber quem são os candidatos, isto é a coisa mais absurda do mundo, nem sei quem são e nem o que eles defendem. Qual o ideário, qual o programa?

A declaração de Lázaro Botelho foi feita durante café da manhã com o governador realizado em Araguaina, em sua casa. Mais cedo o presidente metropolitano do PP, Tiago Andrino, em entrevista ao Conexão Tocantins, disse que a decisão final de apoio ao governador seria tomada em encontro com presença do prefeito. “Esse café da manhã aproxima ainda mais o partido que já vem se aproximando do governo, mas a definição será no próximo mês”, disse Andrino na oportunidade.

Amastha afirmou que não pode falar pelo presidente, mas disse que está totalmente fora da movimentação do partido. “Estão cometendo um grave erro”, disse. O prefeito disse, entretanto, que espera que seu posicionamento não mude sua relação com o governador. “Ninguém se apressou tanto em apoiar o Sandoval durante as indiretas como eu fiz, porque entendia que fiz a coisa certa porque precisávamos que um integrante do Palácio ficasse lá para ver se faríamos alguma coisa, a partir dai vamos ver se os programas vão para frente”.

O pepista disse que espera que seu posicionamento não atrapalhe a relação com o Governo do Estado. “Da minha parte eu espero que ele seja maduro o suficiente para entender, eu estou mantendo a coerência com o que eu disse. Até dezembro ele é meu governador, em outubro, para as eleições, eu não tenho claro quem seja o candidato melhor para o Estado e para o município”, disse Amastha.

O prefeito, entretanto, não fechou ainda a possibilidade de não marchar junto com o partido no apoio ao governador. “Vamos levar este debate para as convenções e para a nacional, mas eu não quero rachar com meu partido”, disse.

Amastha reforçou que não tem problema com o governador Sandoval, “como não tenho com o Marcelo Miranda ou quem queira se postular como candidato”, salientou.

Imaturo e irresponsável

Amastha questionou os métodos internos conduzidos pelo presidente Lázaro Botelho e afirmou que a declaração do presidente foi totalmente desrespeitosa com os companheiros de partido. Ele afirmou que a declaração foi imatura e completamente irresponsável. Amastha ainda disse que a decisão do presidente pode levar a uma não convergência durante a convenção do partido. “Como que um partido que quer ser grande vai declarar apoio sem nem saber quem são os candidatos!?”, questionou.