Estado

Foto: Divulgação

Em nota assinada pelo diretor administrativo, Dorman Augusto Fleury Filho a Fundação Aroeira, responsável pelo concurso da Polícia Civil, afirmou que tudo correu naturalmente bem na aplicação das provas no último domingo, 1º, e que apenas recebeu informações de um  suspeito de tentar fraudar as provas e logo acionou a Polícia Civil.

A empresa disse ainda que monitorou o candidato durante a sala de aula durante as duas horas que ele permaneceu e assim que o suspeito deixou o local, segundo a Aroeira, ele já foi imediatamente abordado pela autoridade policial para as averiguações devidas, o que teria evitado qualquer tipo de fraude.  “A Comissão de concursos da Aroeia aguardará as informações oficiais a respeito das investigações policiais para adotar as providências que lhe competem , segundo o disposto no edital, em face dos candidatos porventura envolvidos na suposta tentativa de fraude”, informou.

A Aroeira informou ainda que apesar de ter contratado equipe de professores para elaborar questões de diversas modalidades do conhecimento foram detectadas algumas questões que podem não ser  inéditas para o cargo de Agente de Necrotomia e se for comprovada a suspeita elas serão anuladas, independente de recursos.

A Polícia Civil investiga um suspeito de tentar fraudar as provas que foram para os cargos de agente de polícia, escrivão, papiloscopista e agente de necrotomia.

Veja a íntegra da nota da Fundação em anexo