Polí­tica

Foto: Antônio Gonçalves

A confirmação da pretensão do ex-governador Siqueira Campos para o Senado teve repercussão negativa em alguns líderes políticos da oposição. O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP) deixou claro em entrevista ao Conexão Tocantins nesta quinta-feira, 12, que é impossível apoiar uma majoritária com Siqueira Campos na disputa para o Senado. “Tenho muito respeito pelo Siqueira mas não é possível apoiar uma chapa onde ele esteja”, disse.

Conforme o prefeito, o momento é de renovação no processo político e esse é o sentimento do eleitor. “É impossível meu apoio a uma chapa dessa”, reafirmou.

O PP, partido de Amastha, já declarou apoio à pré-candidatura á reeleição de Sandoval mas não se sabe ainda como a legenda vai reagir com a indicação de Siqueira para a vaga ao Senado. Após divergências internas na legenda, causadas por trocas de notas entre cúpula da legenda e declarações do prefeito, o partido deve se reunir nos próximos dias. “Estamos conversando bastante. O presidente vai marcar reunião para debater os rumos”, explicou.

PRB

Já o PRB, comandado pelo deputado federal Cesar Halum adiou a convenção da legenda . Com a decisão já tomada de apoiar a reeleição de Sandoval, Halum disse ao Conexão Tocantins que é preciso fazer uma nova consulta partidária sobre a indicação de Siqueira para o Senado. “Não tenho nada contra. Era um assunto que não tinha sido avaliado pelo partido”, comentou. O deputado, que era cotado para ser candidato ao Senado, avaliou porém que o partido deve seguir mesmo com o governo.