Polí­tica

O clima no PMDB é de disputa interna e duas convenções irão acontecer na legenda. O deputado federal Junior Coimbra que comandava o partido afirmou ao Conexão Tocantins nesta segunda-feira, 23, que a convenção marcada para esta terça-feira, 24, vai acontecer. “ Nós estamos resolvendo essa situação, conversando com os líderes mas está confirmada  a convenção e vamos fazer sim”, disse.

 O partido está sob o comando de uma comissão de intervenção que marcou outra convenção para o dia 28 e inclusive divulgou outro edital de convenção. “Essa convenção não fomos nós que marcamos e não sei como é que vai acontecer”, frisou.

Com a intervenção da nacional tudo caminha para a indicação do nome do ex-governador Marcelo Miranda como candidato ao Governo com a senadora Katia Abreu para o Senado. “ Essa intervenção foi um ato arbritário de outro grupo o que machucou não só a mim mas todos os membros. Gerou uma instabilidade total porque não é batendo nas pessoas que você vai conseguir vencer”, opinou o deputado.

Coimbra trabalha junto aos convencionais do partido para ser indicado para a cabeça de chapa mas lutou que mesmo com tal pretensão nunca se manifestou contra o nome de Marcelo. “ Nunca disse que sou contra a candidatura dele, sou contra a forma que está acontecendo mas continuo lutando para ser o candidato a governador”, frisou.

O grupo de Coimbra e o de Marcelo e Katia caminham para o enfrentamento na convenção.

O ex-senador Leomar Quintanilha, que comandava o partido após acordo intermediado pela nacional entre as partes, afirmou ao Conexão Tocantins que “ Junior Coimbra não é mais presidente do partido por isso não tem legitimidade para fazer uma convenção. “ isso é um ato de rebeldia dele, não tem valor legal”, comentou.

Segundo Quintanilha, tudo caminha para a indicação de Marcelo para o Governo. Sobre as alianças e conversações para alianças ele frisou de certo até o momento o partido tem apenas o PSD, comandado pelo deputado federal Irajá Abreu.