Estado

Foto: Divulgação

Entidades sindicais e de classe que defendem os interesses dos servidores públicos estaduais protocolaram na tarde desta última terça-feira (24), ofício ao secretário da Administração e presidente do Conselho de Administração do Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Tocantins - IGEPREV, Lúcio Mascarenhas, estabelecendo prazo máximo de 05 dias para que ele apresente a minuta do projeto de lei que altera a estrutura administrativa do órgão.

A decisão das entidades foi tomada depois de o secretário deixar de enviar a minuta final do projeto que estava marcada para o dia 14 de abril. Por diversas vezes as entidades cobraram do secretário a finalização da minuta, sem obter resposta. O novo prazo termina no dia 29 deste mês e caso não seja cumprido as entidades prometem outras forma de mobilização para aprovar o projeto.

Outras ações

Em reunião realizada na tarde desta terça-feira na sede do Sindicato dos servidores Públicos do Estado do Tocantins (SISEPE-TO) as entidades traçaram outras linhas de ação em relação ao Igeprev. Além de pressionar o Governo para a aprovação da lei que altera a estrutura administrativa do Instituto, as entidades vão acompanhar de perto todas as sessões da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o Rombo no Igeprev.

As entidades também decidiram procurar novamente os órgãos como Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal, Tribunal de Contas do Estado e Polícia Federal, para buscar informações do andamento de procedimentos investigatórios abertos nestas instâncias.

A preocupação com a situação do Igeprev aumentou ainda mais depois da divulgação segundo a qual o instituto passou de credor a sócio solidário da rede de restaurantes Porcão que tem um passivo financeiro que pode ser superior a R$ 400 milhões. O Igeprev é o principal investidor no Porcão.

Por: Redação

Tags: Igeprev, Lúcio Mascarenhas, Sisepe