Polí­tica

Foto: Divulgação Resolução é assinada pelo presidente estadual do partido, Júlio César Brasil Resolução é assinada pelo presidente estadual do partido, Júlio César Brasil

O Diretório Regional do Partido dos Trabalhadores (PT) do Estado do Tocantins baixou na última terça-feira, 29, resolução estabelecendo punição aos filiados ou candidatos do PT que venham a discutir, posicionar-se, formar grupo ou bloco de apoio e, ainda, apoiar candidatos de outras siglas nas eleições de 2014, que não sejam as já definidas pelo partido em convenção estadual realizada no dia 29 de junho.

A resolução foi informada depois que membros do diretório municipal do partido em Gurupi declararam apoio à reeleição do governador Sandoval Cardoso (SD) na última quarta-feira, 30, e, determina ainda em seu artigo 3 que os prefeitos, vereadores, cargos comissionados ou qualquer filiado, não poderão apoiar candidatos de outra sigla para as candidaturas proporcionais a deputado federal e estadual, como também ao cargo de senador de outra coligação. 

O diretório estadual afirma ainda na resolução, por meio de seu presidente Júlio César Brasil, que é estabelecido no estatuto do partido, "a proibição, a realização de atividades de campanha eleitoral ou peças publicitárias com candidaturas de outros partidos, ou dobradinhas, salvo no caso de coligações eleitorais aprovadas em convenção".

Segundo a resolução, o Partido dos Trabalhadores atuará para responsabilizar os infratores do seu Estatuto na medida proporcional ao ato infracional ocorrido e registrado no Conselho de Ética durante os 06 (seis) meses posteriores ao fato e os que não seguirem as resoluções impostas, serão autuados e responsabilizados.

Neste sábado o diretório municipal do PT de Gurupi também se posicionou por meio de nota na qual reafirma que apoia a decisão da convenção do partido realizada no dia 29 de junho que optou pela coligação com a chapa "A Experiência Faz a Mudança" que tem como candidato ao Governo do Estado o ex-governador Marcelo Miranda (PMDB).