Campo

Foto: Divulgação

Atualmente, o Tocantins possui um rebanho de bovinos e bubalinos que somam 8 milhões de cabeças e está no 11º lugar no ranking nacional. A criação desses animais é um dos principais destaques do agronegócio tocantinense e conta com a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) para realizar rastreamento, controle da sanidade animal e segurança alimentar com o objetivo de que o Estado atenda às exigências dos mercados, nacional e internacional.

Segundo o presidente da Adapec, Marcelo Aguiar Inocente, o clima tropical e as boas terras são características favoráveis para criação de gado de pastagem no Estado. “A criação de bovino e bubalino já é tradição no Estado. Essa atividade já é bem desenvolvida e consolidada no Tocantins e isso se deve também ao trabalho de defesa agropecuária desenvolvida pela Adapec, que fiscaliza a qualidade desses animais para que eles sejam atrativos para consumo, tanto interno quanto para exportação para outros estados e países”, destacou.

Em 2013, a movimentação de bovinos registrou um aumento de 12% em relação ao anterior, passando de 5,5 milhões de animais transportados para 6,4 milhões. Segundo informações da Adapec, 65% do transporte ocorreu entre as propriedades rurais, 26% da destinação foi para o abate e 9,5% para outras finalidades como leilões, esportes, reprodução e engorda. “Isso significa dizer que o produtor anda movimentando o rebanho conforme sua atividade, tanto para cria, recria, quanto para engorda, demonstrando que o produtor está interessado que o rebanho cresça no Estado e esteja preparado para os diversos consumidores”, considera o presidente da Agência. A Emissão de Guia de Transporte Animal (GTA) passou de 210 mil em 2012, para 236 mil, em 2013.

Vacinação

Entre as ações para garantir a segurança do rebanho tocantinense estão as campanhas de vacinação contra febre aftosa, que acontecem em maio e novembro, com exceção do gado que se encontra na Ilha do Bananal, onde a vacinação ocorre em agosto e setembro - sendo feita por técnicos da Adapec.  A vacinação na Ilha é autorizada pelo Ministério da Agricultura, sendo realizada em uma única etapa, a campanha visa vacinar 80 mil animais - no período de 1º de agosto a 30 de setembro - que pertencem aos povos indígenas que vivem no local. Essas doses são custeadas pelo governo do Tocantins para garantir a manutenção do Estado na situação de livre de febre aftosa com vacinação.  (ATN)