Economia

Foto: Aldemar Ribeiro Com grande potencial para agricultura e agropecuária, o Tocantins vem alcançando novas fronteiras de exportação Com grande potencial para agricultura e agropecuária, o Tocantins vem alcançando novas fronteiras de exportação

Com grande potencial para agricultura e agropecuária, o Estado do Tocantins vem alcançando novas fronteiras de exportação com produtos que agradam a diferentes países. De janeiro a junho deste ano, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), ligada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), o Estado exportou 634.335 toneladas de produtos do agronegócio.

O agronegócio tocantinense já chegou a países como Rússia, Venezuela, Egito, Irã, Estados Unidos, a Associação Latino Americana de Integração – Aladi, África, Oriente Médio, Ásia, e a União Europeia, entre outros. Se comparado ao primeiro semestre de 2013, quando foram produzidas 481.795 toneladas, o crescimento da exportação do agronegócio subiu 31,66%.

Na lista de produtos de exportação estão grãos, como a soja e o milho, frutas frescas e seus derivados, bovinos processados como: carnes, miúdos, couro, além de outros produtos alimentícios processados. No topo da lista está a soja. O produto foi enviado para países de janeiro a junho de 2013, um total de 433.961 toneladas. Já no primeiro semestre de 2014, foi exportado um total de 604.684 toneladas, registrando um aumento de 39,80%.

A carne bovina aparece em segundo lugar entre os produtos de exportação, atingindo a marca de 24 mil toneladas exportadas de janeiro a junho de 2014, principalmente para Rússia, Venezuela e Egito. Um crescimento de 5,72% se comparado ao mesmo período de 2013, quando foram exportados pouco mais de 23 mil toneladas. Em valores, o crescimento foi de 10,01%, uma vez que de janeiro a junho de 2013 a venda do produto para outros países atingiu US$ 93,9 milhões, enquanto que de janeiro a junho de 2014, a venda foi de US$ 103,3 milhões.

Produção

Segundo o secretário de Estado da Agricultura do Estado, Ruiter Pádua, o Tocantins tem condições propicias para produzir para o mercado de exportação. “Por sermos um Estado livre da aftosa e termos dois frigoríficos credenciados para exportação - um em Gurupí, e outro em Araguaína - é importante para esses números. O fato de nosso boi ser criado praticamente com a pastagem; e pela topografia do nosso Estado, que é bastante plana, conseguimos produzir uma carne mais macia. Isso tudo faz com que possamos exportar”, destacou.

Ainda segundo Ruiter Pádua, o programa de incentivo fiscal tributário, concedido pelo governo do Estado aos frigoríficos, faz com que os empresários tenham preços competitivos para exportar. Essas características também fazem com que o couro bovino alcançasse o mercado internacional. O grande destaque do período foi o couro bovino. Segundo os dados da Secex, o aumento foi de 154,07% no volume de toneladas exportadas, que passou de 1.230 de janeiro a junho 2013, para 3.125 toneladas no mesmo período de 2014.

Já no que se refere à exportação de grãos, em especial da soja, tem crescido a demanda principalmente da China e da União Europeia, o que reflete no índice de produção, como destacou o engenheiro agrônomo da Seagro Genebaldo de Queiroz.

“O Tocantins tem áreas de pastagem degradada que estão sendo convertidas para produção de grãos. Temos um clima muito favorável e contamos com rodovias que passam por dentro do Estado, ficamos próximos aos portos do Nordeste, e agora a Ferrovia Norte Sul, que diminui o valor do transporte até os portos. Todos esses fatores em conjunto têm aumentado a produção. Estamos crescendo em área e em qualidade”, apontou.

Projeto Manuel Alves

Já este ano, a produção de banana do Projeto de Irrigação Manuel Alves, no município de Dianópolis, a 320 Km de Palmas, chegou ao mercado Argentino. O embarque experimental aconteceu em junho. Foram enviadas 30 toneladas de banana nanica, que podem garantir a entrada para futuras cargas.

Os produtores do projeto, que é um dos maiores do Brasil - com uma área de cinco mil hectares e com expansão prevista para 15 mil -, devem bater recorde na produção de bananas neste ano, com 3.200 toneladas da fruta, que já é comercializada para vários Estados vizinhos.

De acordo com Genebaldo de Queiroz, com o apoio do governo do Estado, os produtores estão se qualificando e conquistam novos mercados. “O projeto tem apoio integral do governo e os produtores têm conseguido uma produtividade muito boa, que atende os mercados mais exigentes. A banana é o produto mais conhecido do mundo e, para ser aceito mercado, precisa ser um produto de qualidade”, frisou. (ATN)