Campo

Foto: Divulgação

A Agricultura de precisão é uma prática agrícola que vem facilitando a vida no campo. A partir de dados específicos de áreas geograficamente referenciadas, implanta-se o processo de automação agrícola, dosando adubos e agrotóxicos para cada tipo de solo. A tecnologia foi apontada durante o Seminário da Cadeia Produtiva da Soja no Tocantins como instrumento importante para amenizar impactos ambientais e aumentar a produtividade da soja. O evento, realizado pela Secretaria da Agricultura e Pecuária e parceiros, aconteceu nesta terça-feira, dia 12, no auditório da Seagro, em Palmas.

O engenheiro agrônomo da empresa Semear Leonardo de Moura explica que a tecnologia tem sido muito importante para o desenvolvimento da soja no campo. “É uma tecnologia de ponta de altíssima precisão, pois possibilita a dose exata do uso de fertilizantes e insumos em cada metro quadrado do solo, ou seja, utiliza a quantidade necessária dos nutrientes para a cultura, alcançado melhor produtividade, além de minimizar os impactos ao meio ambiente”, ressaltou.

Moura explica que o Tocantins é uma fronteira agrícola em expansão na cultura da soja, por isso, há a necessidade de investimentos no uso de tecnologia, principalmente da agricultura de precisão. “Os investimentos são altos, mas reflete nos resultados econômicos satisfatórios para os produtores”, pontuou.

O engenheiro agrônomo da Seagro, Genebaldo Queiroz, completou dizendo que o  uso da tecnologia permite o manejo de solo, insumos e culturas de modo adequado às variações espaciais e temporais. “A tecnologia consiste em aumentar a eficiência, com base no manejo diferenciado de áreas na agricultura”, disse.

Ferramentas

A agricultura de precisão só foi possível graças às ferramentas tecnológicas, como os microprocessadores e os aparelhos de posicionamento global por satélite GPS. Estes equipamentos acoplados a colheitadeiras, semeadoras e outros implementos agrícolas, permitem o levantamento de dados, sua tabulação cumulativa e a aplicação dosada e localizada de insumos. Outro tipo de ferramenta fundamental são os softwares de SIG -Sistema de Informação Geográfica. Inicialmente utilizaram-se sistemas SIG genéricos. Nos anos 1990 surgiram softwares SIG especializados no uso agrícola. Hoje existe grande gama de opções, comerciais e acadêmicas, destinadas a diferentes perfis de usuários, com diferentes níveis de funcionalidades e complexidade de uso. (Ascom Seagro)